Sturgill Simpson faz show do lado de fora do CMA Awards e ofusca evento


Um dos destaques do Country Music Association Awards na noite passada de quarta-feira, 08/11, não teve absolutamente nada a ver com o show. Sturgill Simpson, o cara que é amplamente ignorado pela indústria "country" apareceu fora da Bridgestone Arena em Nashville - onde estava havendo a premiação - para dar uma palhinha, arrecadar dinheiro para a União Americana pelas Liberdades Civis, conversar, tirar fotografias com estranhos e fazer piadas sobre dele não ser "convidado" para a cerimônia.

"Você tem uma melhor chance de entrar lá do que eu", disse ele a uma pessoa durante sua aparição no lado de fora. Ele também transmitiu ao vivo pela sua página no Facebook. Uma hora depois, milhares de pessoas estavam assistindo, e um pequeno grupo de fãs o rodeava na rua. Simpson que ganhou um Grammy em fevereiro passado na categoria de Melhor Álbum Country apareceu com o troféu dentro de sua Guitar Case na rua.


Ao seu lado havia uma placa que dizia: "Não aceito pedidos, mas respondo perguntas sobre qualquer coisa que você queira falar porque o fascismo é uma merda". Isso claramente pra mim foi um dedo médio para a declaração da CMA divulgada na semana passada que afirmou que os repórteres poderiam ser expulsos se perguntassem aos artistas Country assuntos sobre a tragédia de Las Vegas, o controle de armas ou a política. Após criticas o CMA pediu desculpas pela declaração.

Na outra placa dizia "Cantor Country lutando, qualquer coisa ajuda. (Todas as doações vão para a ACLU) Deus abençoe a América."

Embora o último álbum de Simpson tenha sido o nº 1 na Billboard Country Albums, ele também é considerado um Neo-Country e um cara da Americana Music, e é negligenciado pelo mainstream de Nashville. Seu som está longe de se encaixar no que o Sistema Musical de Nashville quer. Simpson também deixou claro que ele não é fã das cerimônias de troféus (bem Waylon Jennings!). No ano passado, ele criticou os prêmios da Academy Of Country Music (ACM) depois que os executivos criaram um "Merle Haggard Spirit Award".

"Se a ACM quer realmente comemorar o legado e a música de Merle Haggard, eles devem acabar com essa fórmula estereotipada de folhagem Country, eles não estão nem aí com a América rural nos últimos 30 anos e estão empurrando goela abaixo um som secundário, comecem a dedicar para que seus programas sejam mais Country", escreveu no Facebook.

Sturgill Simpson, para mim, está na leva desses novos Outlaws sem colete de couro, chapéu de cowboy e sem barbas e cabelos longos. A atitude dele é uma represália pelo o que a CMA fez e deixa de fazer para o espirito do verdadeiro Country. Ele tem status para tal protesto, não precisou do mainstream para ganhar um Grammy Awards e sua atitude está longe de soar como uma dor de cotovelo. Artistas Country que se assemelham, em partes, com aqueles Outlaws da década de 70 tem minha admiração.

Wotson
Wotson de Assis tem 27 anos, é um mineiro em terras nordestinas, administrador, poeta, compositor e pesquisador da Country Music. Admirador-mor de artistas que elevaram a música por meio das letras, da voz e simplicidade. Fuck o Pop Country!
Tecnologia do Blogger.