Escutem Black to Blues da Black Stone Cherry


Para início de conversa, seu eu quiser escutar a versão fiel de alguma faixa, irei escutar a versão original, não um cover de uma banda de um estilo totalmente diferente. Eu tenho sido um grande crítico da Black Stone Cherry desde o lançamento de "Magic Mountain" em 2014 do seu sucessor "Kentucky" em 2016, mas ainda sou um grande fã desses caras, é impossível esquecer clássicos como "Black Stone Cherry" e "Folklore And Superstition", eles seguiram para um caminho que não gosto, mas jamais irei dizer que eles não tem talento.

Não é uma tarefa simples pegar clássicos do Blues e fazer versões que fogem totalmente das originais, o que é considerado um desrespeito para muitos fãs do estilo. Como disse no início, vejo isso de outra forma, gosto de bandas modernas pegando músicas do passado e ressignificando elas, tipo o All That Remains cantando "The Thunder Rolls" do Garth Brooks, não acho isso desrespeitoso com a história da canção, não existe forma melhor de apresentar uma música antiga para uma geração que não está nem aí para o Blues.

Todas as faixas escolhidas, "Champagne and Reefer" e "I Want to Be Loved" do Muddy Waters, o "Palace of King" do Freddie King, "Born Under a Bad Sign" do Albert King e "Built For Comfort" do Howlin' Wolf, ficaram sensacionais, mas nada como a versão de "Hoochie Coochie Man" do Muddy, que coisa sensacional.

O Chris Robertson disse em uma entrevista que "Espero que, ao compartilhar essa música, tenhamos a bela oportunidade de expor uma nova geração aos Blues", não tenho dúvidas que isso irá acontecer, a qualidade do EP é absurda e nem preciso falar da banda.

Apenas abra sua mente, deixe o som fluir.

Tecnologia do Blogger.