Livro fala sobre bastidores do Blues no Brasil


Por Eugênio Martins Júnior do Mannish Blog

Em trinta anos de sua existência no Brasil, o Blues criou um circuito próprio. Se nos anos 80 ganhou as graças da imprensa, televisão, rádios, o que alavancou a carreira dos pioneiros Celso Blues Boy, André Christovam e Blues Etílicos, nos dias de hoje é totalmente underground, longe dos esquemas de mídia.

Dito isso, é fácil afirmar que cada região do Brasil tem uma cena blueseira que se auto-sustenta. Pequenas, é certo, mas elas existem. E assim como todos os artistas que tocam Blues nos dias atuais, que eu, como produtor, também tenho de matar um leão por dia.

Tento me inserir no circuito nacional blueseiro, e com isso, produzi com pouca grana mais de 100 shows de Blues e Jazz nacionais e internacionais com a pequena Mannish Boy Produções Artísticas. Foi assim que juntei material para publicar esse livro.

A ideia nasceu no começo dos anos 90, quando, ainda colecionador de discos e aspirante a jornalista, sonhava em dedicar "todo" um livro ao estilo musical que é minha paixão. Nessa época a bibliografia nacional sobre o assunto contava com um par de coletâneas que não estão mais em catálogo e na época não faziam jus à importância da música centenária vinda dos cafundós do Mississippi.

A obra começou a tomar forma quando passei a viajar com os artistas e perceber que podia extrair informações exclusivas deles. O "formato entrevista" foi o escolhido. A intenção era colocar a história na boca dos protagonistas. Quem melhor do que os próprios músicos para contar suas alegrias e desventuras?

Após peregrinar pelo país atrás de alguma editora que se interessasse por essa história nada comercial, ironicamente encontrei acolhida aqui em casa, na editora santista Ateliê de Palavras. O primeiro volume de meu livro, publicado graças às pessoas que contribuíram via crowdfunding, "Blues - The Backseat Music", será lançado no sábado, dia 29 de julho, no Santos Jazz Festival. 

O livro pode ser comprado no site da editora Ateliê de Palavras.


Resumo:

Dos confins do Mississipi ao centro de São Paulo. Pelas mãos criativas dos negros submetidos a trabalhos escravos e pela voz de brancos de classe média brasileiros. Em galpões iluminados por latões embebidos em querosene ou em casas noturnas, clareadas por lâmpadas de última geração, no século XXI.

O Blues é um gênero musical de contradições, que luta contra o destino pregado por outros que o discriminam enquanto idolatra suas raízes marginalizadas lá no sul dos Estados Unidos. O nome deste livro representa e reforça esta ironia. Destinado ao papel de coadjuvante no banco de trás, o blues ganha o centro do palco pelas palavras do jornalista Eugênio Martins Júnior.

Eugênio é uma das maiores autoridades brasileiras neste gênero musical. Conversar com ele – ou ler o que escreve – significa aprender com quem transmite a sensação de conhecer tudo e todos no mundo do blues. Sem empáfia, sem afetação.

Neste livro, ele produz um mapa sobre a música no Brasil e nos Estados Unidos. São 30 entrevistas com representantes genuínos do blues, além das margens do rio Mississipi a ponto de alcançar diversas regiões brasileiras. Diálogos múltiplos, registros históricos de artistas de vários momentos desta biografia musical.

O Blues pode até soar melancólico ou cabisbaixo, como muitos o defendem, mas – como as melhores criações humanas – é a manifestação viva de um ato de amor e de alegria; neste caso, estampada nas relações de amizade e no intercâmbio cultural entre brasileiros e norte-americanos.

Como diz o próprio Eugênio, ler o que estes blueseiros dizem é um estímulo a ouvi-los tocar na sequência. Ou durante a leitura. Bom show!
Tecnologia do Blogger.