Wynton Marsalis e Eric Clapton - Play The Blues live from Jazz at Lincoln Center (Review)


Falar de algo que reúne Eric Clapton e Wynton Marsalis não é tão fácil quanto pode parecer. É difícil não ouvir este disco já com uma pré-disposição a, no mínimo, gostar muito dele. 

Um é o Deus da guitarra, o outro, um gênio que viaja do jazz clássico até estilos como Swing e Dixieland (mistura de vários estilos de jazz oriundo da Lousianna).

Logo de cara a música "Ice Cream" nos faz ter vontade de cantar junto (para os mais efusivos até quem sabe dançar). O que segue são canções quase hipnóticas como um bom jazz propõe. A versão de "Fourty-Four" de Howlin' Wolf ficou tão boa quanto a original. Em "The Last Time" fica difícil não ficar extasiado com o trompete de Marsalis. "Careless Love" vem na sequência para mostrar que jazz e blues não são só gêneros musicais irmãos como casam completamente quando bem tocados. Ainda tem uma versão muito bacana de "Layla" do próprio Clapton e o CD encerra com "Corrine, Corrina" gravada originalmente na década de 1920 e regravada até hoje por artistas de rock, blues, jazz e country. Aqui conta com a participação do grande Taj Mahal!

É valido ressaltar o trabalho do pianista Dan Nimmer, um músico da nova geração do jazz que acompanha Marsalis em vários projetos e neste disco mostra que um bom acompanhamento é essencial, mesmo para os deuses. O saxofone de Victor Goines também marca (muita) presença.

Seja o CD ou o DVD (de preferência os dois), quem se propor a ouvir não vai ficar desapontado, muito pelo contrário, certamente vai lhe trazer uma sensação de que em pleno século XXI ainda tem muita coisa boa acontecendo no mundo mainstream musical.


Rafael Cafarchio-Batista tem 33 anos, é designer gráfico, nascido no grande ABC, mas morador do interior paulista. Fã de Rock clássico, country, folk, blues e tudo mais de bom que a música pode proporcionar.
Tecnologia do Blogger.