O Blues de Belchior


Mesmo afirmando com todas as letras que um Tango argentino lhe caía bem melhor que um Blues, afirmo categoricamente que o Blues sempre foi uma força presente na obra desse gênio da nossa música.

Belchior já avisava que isso era apenas uma canção, a vida era muito pior. Ele foi uma chave na cultura que abriu caminhos que unia uma profunda poesia humana, ou melhor uma divina comédia humana, com roupas coloridas, jeans apagado, um jovem trovador, sonhador com as mesmas vicissitudes de nossos pais - "Quanto mais eu multiplico, diminui mais o meu amor". O Blues de Belchior está presente em cada frase, em cada lamento, em cada acorde dominante e em cada grito desse eterno hippie, hitchhiker – nômade,  que mescla Country e Folk sem o menor medo de soar saudosista.

Anunciou aos fãs que tinha mentalidade mediana para compor canção tropical, que não era nenhum Alain Delon e que falava com os corvos. Puro Blues.

Colecionar os discos de Belchior é como colecionar as obras de Shakespeare, impossível não ouvir uma música e se hipnotizar por todas com "lágrimas nos olhos".  "A Palo Seco", "Alucinação", "Galos, Noites e Quintais", "Fotografia 3x4", "Como Nossos Pais", "Paralelas", "Apenas Um Rapaz Latino Americano", "Velha Roupa Colorida" - é tudo Blues... Ouça todas, sem restrição nenhuma, ouça a discografia inteira e se prepare para sair outro dessa audição - todas são essenciais. 

Quero acreditar no que ele disse em "Sujeito de Sorte": "... ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro".

Somos todos estudantes, obrigado professor!

Dandy
Mamãe quando eu crescer
eu quero ser artista,
sucesso, grana e fama são o meu tesão.
Entre os bárbaros da feira
Ser um réles conformista,
nenhum supermercado satisfaz meu coração.

Mamãe quando eu crescer
eu quero ser rebelde,
se conseguir licença
do meu broto e do patrão,
Um Gandhi Dandy, um grande
milionário socialista,
de carrão chegou mais rápido à revolução.

Ahhhh! Quanto rock dando toque, tanto Blues...
e eu de óculos escuros vendo a vida e o mundo azul.

Tavinho Rezende é músico e compositor, vocalista da banda Pheudal, formado em História e proprietário do Vitrola Records, uma loja de vinil especializada em Jazz, Blues e Rock.
Tecnologia do Blogger.