Escutem Ain't Nothing You Can Do do John Primer e Bob Corritore


De um lado, John Primer, um renomado guitarrista no meio do Blues que carrega a honra de ter integrado a última banda do lendário Muddy Watters, pouco antes da morte deste, em 1983. Além disso, conta com uma sequência de vigorosos discos solos, sempre fiéis ao tradicional estilo do Blues de Chicago e guarda o Blues Award de 2016, na categoria de Best Traditional Male Artist. Do outro lado, Bob Corritore, um dos grandes gaitistas da atualidade, que também é vencedor de um Blues Award, em 2011, na categoria Historical Album, com o álbum Harmonica Blues. Para juntar o talento dos dois está, mais uma vez, a gravadora Delta Groove Music, altamente influenciada pelo som puro e tradicional do Blues da cidade do vento. Em 2013 foi o disco de estreia dessa parceria, "Knockin' Around These Blues". Agora o catálogo da dupla é acrescida por "Ain't Nothing You Can Do", no qual a dupla mantém a pegada do Blues nostálgico e original que era tocado pelos clássicos décadas atrás. O disco ainda conta com a presença do pianista de Blues Barrelhouse Chuck em sete faixas, que infelizmente nos deixou no ano passado, aos 58 anos, e ainda com Henry Gary, pianista de Howlin' Wolf, aos incríveis 91 anos, tocando nas três outras faixas. O guitarrista Big Jon Atkinson, com quem Corritore lançou um disco no ano passado, "House Party At Big Jon's", também toca em três músicas.

A faixa de abertura é "Poor Man Blues", uma aclamação para ajudarmos aqueles que estão necessitando, que não tem um prato de comida. Cada música aqui parece construída para que todos os músicos disponham de momentos de mostrarem seus talentos de forma mais livre e solta. Incrível como há momentos em que a voz de John Primer parece bastante com a de Muddy Waters. Em "Elevate Me Mama", de Sonny Boy Williamson, a guitarra de Primer também canta demais, enquanto "Harmonica Boogalo" é simplesmente uma das melhores Jam de gaita que você escutará este ano.

Um dos destaques é a sensual "Big Legged Woman", que prova como existem músicas que podem ser sensuais sem ser ofensivas às mulheres. Nenhum assédio, apenas admiração. "Gambling Blues", de Magic Slim, também conta entre os destaques. É o momento da jogatina, hobby favorito dessa turma da pesada. O disco ainda conta com "May I Have a Talk With You", de Howlin' Wolf. O disco chega ao fim com "When I Leave Home", em torno de sete minutos, com tempo suficiente para guitarristas, gaitista e pianistas.

A experiência de John Primer mesclada com a técnica e o vigor de Bob Corritore, contando ainda com uma ótima banda de músicos, faz com que "Ain't Nothing You Can Do" seja um dos melhores discos de blues puro e tradicional lançados no ano.



André Espínola é formado em História pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB, e um grande apaixonado pelo Blues, Jazz, Folk e Rock. É editor do blog O Filho do Blues, onde escreve sobre as novidades e novos lançamentos.
Tecnologia do Blogger.