9 coisas que você não sabia sobre o Merle Haggard


Hoje, 6 de abril, é um dia esquisito. É o dia em que comemoramos o nascimento de um dos maiores nomes da Country Music, mas também é o dia que lamentamos a morte de um cara que encantou gerações.

De hoje em diante, o dia 6 de abril não é mais a data de aniversário ou da morte do Merle Haggard, esse é o dia de celebrar seu extenso legado, algo que irá durar por muito tempo.

Para celebrar seu legado, vasculhei a internet e separei 9 coisas que você não sabia sobre o Merle Haggard

1. Nasceu em um vagão de trem

Entre todas as estrelas da Country Music, possivelmente, o Merle Haggard foi o que teve a vida mais simples antes da fama. Entre as coisas particularmente "country" na vida de Haggard é o fato de que ele realmente nasceu em um vagão de verdade. Seus pais se mudaram de Oklahoma durante a década de 1930 em busca de uma vida melhor em Bakersfield, Califórnia. O pai de Merle, James, trabalhou para a Santa Fe Railroad e conseguiu converter um vagão velho em uma casa para sua família, que estava prestes a crescer com a adição do pequeno Merle. O músico nasceu naquele vagão em 06 de abril de 1937 e passou boa parte da sua infância morando lá. Em 2015, o vagão, chamado carinhosamente pelo cantor de "caixa de joias de madeira e estuque", foi movido e posto em exposição no museu do Condado de Kern em Bakersfield, Califórnia.

2. Viu Johnny Cash enquanto estava preso em San Quentin

Todos sabem que o Merle Haggard passou alguns anos preso em San Quentin, na Califórnia, no final dos anos 1950 por roubo e fuga de outras, tornando-se um dos poucos cantores Country que cantavam sobre a vida na prisão e que realmente viveu essa vida. O que muitos podem não perceber é que San Quentin desempenhou um papel enorme na vida de Haggard. Durante sua estadia na prisão, Merle viu um show do Johnny Cash na prisão no Ano Novo em 1958, quando Haggard tinha 20 anos. Haggard ainda ficou na prisão por 2 anos, sua sentença era de 15 anos, mas foi solto em 1960. O show do Cash fez ele querer perseguir sua paixão, três anos depois de ser solto, Merle lançou seu primeiro single, "Sing a Sad Song", que estreou no Top 20 da Country Songs.

3. Merle teve seus crimes perdoados por Ronald Reagan

Às vezes, o estrelato tem suas vantagens, que Merle Haggard descobriu em 1972, quando ele foi perdoado por todos os seus crimes passados ​​pelo então governador da Califórnia e futuro presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, apenas 12 anos após sua libertação de San Quentin. Haggard tinha tentado durante anos obter um perdão, mas o processo de apelação era longo e ele não tinha tido sucesso. Ele dizia que anos mais tarde o perdão veio como um choque e ele não esperava que isso acontecesse. Haggard se apresentaria para Reagan 10 anos depois de receber o perdão quando Reagan se tornou presidente. Haggard disse durante seu concerto: "Espero que o presidente fique tão satisfeito com meu desempenho hoje como eu estava com seu perdão há 10 anos."


4. Tinha um dueto número um com Clint Eastwood

Merle Haggard teve alguns parceiros de dueto ao longo de sua carreira de gravação, mas nenhum mais incomum do que o ator premiado Clint Eastwood. Eastwood dirigiu e estrelou um filme chamado "Bronco Billy" em 1980 para o qual ele e Haggard gravaram um dueto chamado "Bar Room Buddies" para a trilha sonora. Haggard também apareceria como ele mesmo no filme. Foi uma divertida pequena canção com Haggard fazendo o de sempre, mas os vocais de Eastwood são prova de que ele escolheu a carreira certa. Surpreendentemente, a canção alcançou o topo da Hot Country Songs e da Canadian RPM Country Tracks no verão de 1980, transformando-se o 25° single número 1 da carreira do músico.

5. Pode impecavelmente representar outros cantores icónicos do país

Merle Haggard era um dos artistas mais sérios da história da Country Music. Ele também tem um grande senso de humor, porém, que raramente era demonstrado em público. Uma das poucas vezes que seu lado lúdico apareceu na televisão foi durante uma aparição na série de televisão Glen Campbell no auge de Haggard, na década de 1960. Haggard fez imitações de estrelas do Country da época. Haggard fez imitações perfeitas de Marty Robbins, Hank Snow, Buck Owens e Johnny Cash. As imitações são perfeitas, não só porque Haggard é capaz de imitar perfeitamente a voz de cada artista, mas também seus estilos de tocar e expressões faciais. As coisas ficam muito divertidas quando ele personifica Owens e Cash e eles caminham atrás dele sem ele saber. É realmente um vídeo imperdível.


6. Merle foi casado cinco vezes

Haggard foi casado várias vezes. Sua primeira esposa foi Leona Hobbs de 1956 a 1964. Depois de sua separação, Haggard se casou com a ex-esposa de Buck Owens, Bonnie Owens, que também era uma cantora Country. Haggard e Owens foram casados ​​de 1965 a 1978. Após esses dois divórcios foram mais dois casamentos que também não duraram muito com Leona Williams e Debbie Parrett. Em 1993, Haggard se casou com Theresa Lane e viveu ao lado dela até sua morte.

7. Merle sofreu de um problema respiratório

Quando ele era criança, Haggard sofria de um problema respiratório que o mantinha fora da escola e em repouso na cama com bastante frequência. Quando Haggard morreu, foi relatado que a causa da morte era devido a pneumonia.

8. Algumas das relíquias de família de Haggard estão no acervo do Smithsonian

Em 1935, um incêndio destruiu o celeiro em Oklahoma. Assim, os pais orgulhosos e determinados de Merle Haggard, James e Flossie Haggard, carregaram suas posses em um Chevy 1926 e foram morar na Califórnia. Entre os itens da família estavam uma lâmpada a óleo, uma máquina de costura e uma câmera que Flossie Haggard usou para documentar a viagem da família de Oklahoma para a Califórnia ao longo da rota 66. Em 2003, Haggard doou os itens da família para o National Museum of American History, o Smithsonian, como parte da exposição "America on the Move", exposição focada na Grande Depressão e a migração após o Dust Bowl.


9. Durante o Movimento dos Direitos Civis, Haggard escreveu uma canção de amor sobre um romance inter-racial.

Na década de 1960, Haggard surgiu como um contrapeso artístico para o movimento anti-establishment na América. Músicas como "The Fighting Side of Me" e "Okie From Muskogee" se tornaram hinos semi-oficiais para Richard Nixon e sua "maioria silenciosa" de conservadores que ficaram horrorizados porque jovens e líderes de direitos civis estavam abalando a sociedade americana. Mas Haggard explodiu a mente de muitos de seus fãs Country conservadores quando lançou "Irma Jackson" em 1972. A música falava de um romance proibido e, segundo o Merle, o mundo nunca iria entender que o amor não tem cor. Haggard tinha escrito a canção anos antes, mas os executivos da Capitol Records se recusaram a lançá-la porque era a década de 1960 e falar de amantes inter-raciais era controverso, especialmente para um cantor de Country Music.
Tecnologia do Blogger.