12 coisas que você não sabia sobre Chuck Berry


Ontem perdemos o Chuck Berry, ontem morreu Charles Edward Anderson Berry, nascido em St. Louis, Missouri. O bisneto de escravos, Chuck Berry cresceu para se tornar o "Pai do Rock & Roll", e um dos artistas mais influentes da história. Berry foi o catalisador que integraria estilos musicais, bem como as raças. Para lembrar o legado do guitarrista, o site American Blues Scene compilou uma lista de fatos menos conhecidos sobre o homem e o artista.

1. Berry foi criado em um segregado bairro de North St. Louis, conhecido como "The Ville". A região era tão segregada, de fato, que ele não encontrou uma pessoa branca até seus três anos de idade. Foi então que ele testemunhou vários bombeiros brancos batalhando para acabar com um grande incêndio. De acordo com Berry, "eu pensei que eles estavam tão assustados que seus rostos foram clareados por medo de ir perto do grande incêndio."

2. O pai de Chuck, Henry Berry, não era apenas carpinteiro, mas também diácono da Igreja Batista de Antioquia. Foi lá que o jovem Berry começou a cantar no coro aos seis anos de idade. Mais tarde, ele foi para a Sumner High School, onde, em 1941, ele cantou a música de Jay McShann, "Confessin 'the Blues", no show anual de talentos. A administração da escola ficou impressionada com a escolha da canção, mas os estudantes amaram, despertando o interesse do jovem em aprender guitarra.

3. Berry é bem conhecido por seus problemas com a lei. Sua primeira vez na cadeia foi aos dezessete, quando ele e alguns amigos realizaram uma série de roubos em Kansas City, com uma arma que encontraram em um estacionamento. Condenado por assalto à mão armada, recebeu a pena máxima de 10 anos, para ser cumprida no Intermediate Reformatory for Young Men, perto de Jefferson City, Missouri. Durante esse tempo, ele se juntou a um grupo evangélico e também começou a lutar boxe, lutando sob o nome de Wild Man Berry. Ele foi libertado após 3 anos em seu aniversário de 21 anos.


4. Na véspera de Ano Novo, em 1952, um membro do Sir John Trio, liderado pelo pianista Johnnie Johnson, adoeceu e não pôde tocar no Cosmopolitan Club em East St. Louis. Johnson sabia que Berry ainda era um guitarrista relativamente inexperiente e provavelmente não teria um show naquela noite, então ele o chamou para tocar. Os vocais e a extravagância de Berry impressionaram a banda, bem como a multidão, e Johnson adicionou-o como um membro integral do grupo. Então começou uma longa relação musical entre os dois.

5. A música conhecida como "hillbilly", era a música favorita entre os brancos na área, na época. Berry começou a incluir canções Country no repertório de baladas e Blues do trio. Não demorou muito para que os brancos ouvissem os rumores de um hillbilly negro e começassem aparecer no clube predominantemente negro. Os membros do público negro, que primeiro riram de suas tentativas, logo se encontraram pedindo as canções hillbilly também, dançando ao ritmo.

6. Em maio de 1955, Berry, por sugestão de Muddy Waters, fez um teste para Leonard Chess da Chess Records, em Chicago. Era a versão retrabalhada da canção de Bob Wills, "Ida Red", que Berry tinha renomeado "Ida May", que chamou sua atenção. Pensando que o título soou muito rural, Chess sugeriu que eles chamassem a música de "Maybellene", mudando a ortografia para evitar um processo da companhia de cosméticos. A canção foi gravada pelo trio junto com Willie Dixon no baixo e Jerome Green nas maracas. A fim de obter mais atenção, Chess deu uma cópia para o disc jockey, Alan Freed. Sem o conhecimento de Berry, ele também deu a Freed e seu associado Russ Fratto, dois terços dos créditos da canção para compensá-los. "Maybellene", tornou-se o primeiro hit de Berry, vendendo mais de um milhão de cópias até o final do ano.


7. A última gravação de estúdio de Berry foi o álbum, "Rock It", lançado pela gravadora Atco Records em 1979. Ele lançou vários álbuns ao vivo e compilações desde aquela época.

8. Chuck Berry escreveu dezenas de canções de sucesso que foram gravadas por outros artistas. Algumas delas incluem "Roll Over Beethoven", "Brown Eyed Handsome Man", "Rock and Roll Music", "Little Queenie", "Memphis, Tennessee" e "Promised Land". Seu único hit número um veio em 1972, com sua versão ao vivo da canção  de Dave Bartholomew, "My Ding-a-Ling".

9. Fora do negócio da música, Berry possuiu diversos negócios dentro e ao redor da área de St Louis. Seu primeiro empreendimento, o Club Bandstand, foi inaugurado no luxuoso Theater District de St. Louis, em 1958. Pouco depois, ele foi condenado por violar a Lei Mann, quando uma garota indígena americana menor de idade foi contratada e posteriormente foi preso por prostituição em um hotel local. Foi provado que sua condenação foi, de fato, um ato de racismo sistêmico contra Berry. Locais ricos estavam furiosos por ele ter tido a habilidade de abrir uma boate na parte mais próspera e luxuosa da cidade. Independentemente do raciocínio, ele decretou o fim do Club Bandstand. Sua segunda compra foi Berry Park, um terreno de 30 acres perto de Wentzville, Missouri, que originalmente tinha duas casas de hóspedes, uma boate e uma piscina em forma de guitarra. Embora ainda seja a residência principal de Berry, não é mais aberto ao público. Na década de 1980, Berry comprou o restaurante histórico The Southern Air, em Wentzville. A ação coletiva de 1990 contra ele por supostamente gravar vídeos de empregadas e clientes, fez Berry vender o estabelecimento. É agora um campus da universidade de Lindenwood.


10. Durante vários anos, Berry viajou sozinho, com apenas sua guitarra. Ele iria contratar músicos locais em cada turnê, assim economizava o custo de uma turnê com uma banda completa. Um promotor local faria todos os arranjos, e Berry apareceria, geralmente minutos antes do show, sem ensaiar, e instruía a banda a vigiar sua perna para pistas. Esses shows foram geralmente decepcionantes para seus fãs, e ele finalmente parou com isso.

11. Berry emulou seu estilo nos palcos de guitarristas como T-Bone Walker, mas seu movimento de assinatura no palco, a "duck walk", foi realmente um acaso. Em um show em Nova York, em 1956, ele usou o movimento que ele tinha começado como uma criança, a fim de esconder as rugas em um terno que ele estava vestindo. A multidão enlouqueceu, ovacionando o guitarrista de pé, então ele continuou fazendo isso pelo resto de sua carreira.

12. Chuck Berry foi introduzido no Blues Hall of Fame em 1985. No ano seguinte, Keith Richards o colocou no Rock and Roll Hall of Fame, dizendo: "É difícil pra mim apresentar Chuck Berry, porque eu copiei todos os acordes que ele já tocou!". Quase todas as lendárias bandas de rock foram influenciadas por ele, incluindo os Beatles, Rolling Stones, Bob Seger e Aerosmith, todos dão crédito a Berry pelo seu som inicial. John Lennon disse uma vez: "Se você quiser dar um outro nome ao rock'n'roll, pode chamá-lo de 'Chuck Berry'."

Tecnologia do Blogger.