60 melhores debuts de 2016


Descobrir novos sons é a coisa que mais amo, passo horas fuçando sites pela internet em busca de caras novas, trabalho que, na maioria das vezes, é muito gratificante. Alguns anos são mais frutíferos que os outros, mas 2016 exagerou no número de músicos novatos e muito promissores. Alguns músicos podem não render nada no futuro, mas outros serão grandes nomes de seus estilos no futuro, só não vou arriscar citar nenhum nome.

Sobre a lista, a ordem dos álbuns é muito pessoal, cada site organiza de uma forma. Aqui no Southern Rock Brasil costumo usar os dados do Last.fm, rede social que utilizo desde 2009 e que torna fácil a compilação de tudo aquilo que escutei durante o ano. Muitos álbuns que indiquei irão aparecer em outras listas, mas a maioria vocês não irão encontrar.

CLIQUE NO NOME DO ÁLBUM PARA ESCUTAR

60 - Rebekah Long - Here I Am
59 - Hovel - Equinoxes
58 - Pole Barn Rebels - Pole Barn Rebels
57 - Guaiamum - Guaiamum
56 - Tim Montana & Shrednecks - Tim Montana & Shrednecks
55 - IsmeraRock e o Calibre Dobrado - Calibre
54 - Lucas Peixoto - Três e Meia da Tarde
53 - Buffalo Summer - Second Sun
52 - Booze n' Blues - O Amor é um cão dos diabos
51 - Masthodontes - Cartas
50 - Gabriel Yang - Poeria
49 - Jeff Shepherd and the Jailhouse Poets - Jeff Shepherd and the Jailhouse Poets
48 - Busker Denim - Busker Denim
47 - Jared Deck - Jared Deck
46 - Delta Boy Walt - Calm Down
45 - Supersonic Blues Machine - West Of Flushing, South Of Frisco
44 - Monica Rizzio - Washashore Cowgirl
43 - Mescalines - Mescalines
42 - Pedro - Zam
41 - Matt Byrnes - Roll Me Home
40 - Johnny & the Mongrels - You Ain't Ready
39 - Stuart Wyrick - East Tennessee Sunrise
38 - Forlorn Strangers - Forlorn Strangers
37 - Redneck Murder - No Road is Too Long
36 - The Smokers - Roads Less Traveled
35 - Midland - Midland
34 - Blues da Casa Torta - Desventuras
33 - O Barco, a Ponte e o Sótão - Todas as Outras Maneiras de Dizer a Mesma Coisa
32 - Mo Pitney - Behind This Guitar
31 - Motorgun - Motorgun
30 - Sister Sadie - Sister Sadie
29 - The Walcotts - Let the Devil Win
28 - Andy Ferrell - At Home and in Nashville
27 - Jes Condado - Shades of Blue
26 - Lara & Jackpot Band - Trouble
25 - Filippe Dias - Borderliner
24 - Corcel Mágico - Primeiro Inverno
23 - Western Centuries - Weight of the World
22 - Backwoods Bluegrass Band - As Long as I Can
21 - Reverend Hylton - Stubborn Nail
20 - Monoclub - Romperia
19 - Kiefer Sutherland - Down in a Hole
18 - Condado Caramujo - Condado Caramujo Vol.1
17 - Marlon Williams - Marlon Williams
16 - William Michael Morgan - Vinyl
15 - The Black Feathers - Soaked to the Bone
14 - O'Connor Band with Mark O'Connor - Coming Home
13 - Dori Freeman - Dori Freeman
12 - Deer Creek Boys - What Goes Up
11 - Erik Dylan - Heart of a Flatland Boy

10 - Justin Wells - Dawn in the Distance: Justin foi para o Country em "Dawn in the Distance", mas o Southern Rock ainda está presente em suas canções, a faixa de abertura, "Going Down Grinnin'", é um exemplo. Justin caprichou nas composições, que falam sobre a desilusão com antigos sonhos e a realização de novos, as armadilhas do Rock e outras experiências que ele teve. A voz do Justin Wellsdele sempre foi uma das minhas favoritas, ela é única, não dá pra confundir, e agora parece que ele aprendeu a usar todo o seu potencial. Fiquei triste com o fim da Fifth On The Floor, mas agora vejo que foi a decisão correta, o Justin Wells pode ter uma grande carreira solo e "Dawn in the Distance" é só o começo. 
9 - BJ Barham - Rockingham: O nome do vocalista pode ser desconhecido, mas alguns leitores/ouvintes mais atentos irão reconhecer a belíssima voz do BJ, que é vocalista da Americam Aquarium, uma das bandas de Alt-Country mais interessantes da atualidade. Você pode não entender nada de inglês, mas a voz do BJ Barham é uma daquelas que te passam todos os sentimentos que uma música carrega, não importa o idioma, pela voz dele você consegue absorver todos os sentimentos. Em "Rockingham", o músico fala de sua cidade natal, Reidsville, Carolina do Norte, referindo-se a lugares que eram importantes para ele. É um álbum pessoal, mas como nasci em uma cidade pequena, me identifiquei com diversas letras, principalmente com a impecável "Reidsville".
8 - The Lonely Heartstring Band - Deep Waters: Que estreia! "Deep Waters" é um álbum tradicional e não desaponta em nenhum momento. A banda é um quinteto de cordas totalmente acústico e os instrumentos são os tradicionais (violão, violino, mandolin, banjo e contrabaixo) e os vocais são encantadores. Quando acessei o Facebook do quinteto, não acreditei no que vi. A banda é formada por cinco jovens, duvido que o mais velho tenha 25 anos, e isso me deixou ainda mais impressionado. Esses caras tem uma longa e frutífera carreira pela frente.
7 - Brent Cobb - Shine On Rainy Day: A estreia do Brent Cobb na música, é sensacional. Assim como o Chris Stapleton, Brent começou compondo para artistas mais pop (Luke Bryan, Little Big Town, Eli Young Band, etc), mas seguiu a linha tradicional da Country Music. Conheci o Brent Cobb na coletânea "Southern Family" do Dave Cobb (eles são primos), onde ele cantou a belíssima "Down Home", e desde então acompanho seus passos. O Brent era mais um compositor genial subestimado em Nashville, mas que para a nossa sorte, conseguiu lançar seu trabalho. "Shine On Rainy Day" é um álbum acústico, totalmente dominado pelo violão e pelo vocal hipnotizante do Brent, uma obra maravilhosa.
6 - The Record Company - Give It Back to You: Esse power trio de Los Angeles começou a carreira com o pé direito. Não é difícil encontrar por aí bandas que misturem o Blues com o Rock, mas está cada dia mais complicado encontrar bandas que façam essa mistura sem soar uma cópia dos seus ídolos. A Record Company conseguiu criar algo próprio e está fazendo muito barulho em sua estreia, o que rendeu uma indicação ao Grammy na categoria Best Contemporary Blues Album. Apesar de estrear em 2016, a banda está na estrada desde 2011 e já tocou com B.B. King, Buddy Guy, Grace Potter e Blackberry Smoke. Acompanhem esse trio sem medo.
5 - Margo Price - Midwest Farmer's Daughter: Pode não parecer, mas essa é a estreia da Margo Price, que é bem famosa em East Nashville, a região da cidade da música que ainda vive do Country tradicional. A vida não poupou a Margo, ela teve problemas financeiros, foi enganada por empresários, perdeu um filho e viveu o drama do alcoolismo, tudo isso ajudou a moldar seu estilo de compor. Eu poderia dizer que a Margo é a grande revelação do ano, mas ela não é uma novidade e a qualidade desse álbum não me surpreendeu. Quem acompanha o underground da Country Music sabia que era questão de tempo até ela, finalmente, brilhar. Como ela disse em uma entrevista, "boa parte deste álbum sou eu (Margo) mostrando o dedo do meio para a indústria da música".
4 - Cody Sparks Band - Sinners and the Saved: Assim como a Flatland Country, a Cody Sparks Band é do Texas e está fazendo sua estreia na Country Music, a diferença é que essa não é uma banda tão badalada como a anterior. A influência da Turnpike Troubadours também é visível, mas percebo um pouco de Reckless Kelly e Pat Green nas músicas da banda. "Sinners and the Saved" é mais uma estreia para aplaudir de pé, mais uma que exala Country de qualidade. Ao longo dos anos escutei muitas bandas, a maioria ainda recebe pouca atenção do público Country, mas algumas conseguiram ascender e saíram do esquecimento, aposto que isso irá acontecer com a banda do Cody Sparks. Vamos ficar de olho nesses caras.
3 - The New Offenders - Stones to Throw: Eu estou sempre em busca da próxima grande banda de Southern Rock, elas não surgem com uma frequência muito grande, mas quando isso acontece, a qualidade é sempre alta. A nova promessa é a The New Offenders. "Stones to Throw" é um álbum 100% Southern Rock, tem todos os elementos que os fãs gostam no estilo. A influência do Black Crowes é bem aparente, mas é possível escutar muito Southern Rock clássico, aquele dos anos 1970, seja nas guitarras ou nos vocais. Fiquem de olho nessa banda.
2 - National Park Radio - The Great Divide: Esse me impressionou desde seus primeiros acordes. A banda diz tocar um Modern Folk, que para mim é uma mistura bem feita de Folk, Country e Bluegrass. Conforme fui escutando as faixas, começou a ficar muito óbvia a influência que a The Avett Brothers tem no som da National Park Radio, músicas como "Steady", "Unce Upon A Time" e "Rise Above" poderiam facilmente ser dos irmãos Avett. Essa é uma das bandas que tem tudo para estourar, então acompanhem os passos desses músicos.
1 - Julie Rhodes - Bound to Meet the Devil: Esse álbum é simplesmente impecável, a voz da Julie Rhodes é fantástica e a banda que a acompanha não decepciona. Logo na faixa de abertura, "In Your Garden", já tive a certeza de esse não seria só mais um álbum, esse seria "o álbum". Essa mulher é especial, poucos começam a carreira gravando no FAME Studios, poucos tem a honra de ter o Spooner Oldham tocando em seu álbum, mas poucos tem o potencial dessa jovem promessa. Melhor estreia de 2016.
Tecnologia do Blogger.