50 melhores álbuns nacionais de 2016


Em 2013, ano em que publiquei a primeira lista com álbuns nacionais, conhecia poucas bandas no Brasil, a lista daquele ano contou com 16 álbuns. No ano seguinte, a lista contou com 24 lançamentos. Em 2015, o número aumentou para 40 e em 2016, ela conta com 50. O Southern Rock Brasil é especializado em Country, Blues, Bluegrass, Folk e Stoner, estilos que não vemos álbuns sendo lançados todos os dias, por isso a lista é bem menor que a de outros sites nacionais.

Pode parecer esquisito, mas é muito mais difícil encontrar um álbum de um músico underground americano do que um brasileiro. Todos os anos deixo de incluir algum bom álbum nacional em minha lista, não por minha culpa, mas por falta de divulgação do material. As bandas ainda são muito amadoras, não sabem utilizar as redes sociais, não entendem a importância do streaming e de manter contato constante com sites que podem divulgar seu trabalho.

Eu ainda dependo muito do apoio dos leitores e da boa vontade das bandas para tomar conhecimento dos lançamentos. Sei que em 2017 não será diferente, algumas pessoas nunca aprendem, mas vou divulgando aquilo que encontrar pelo caminho.

Sobre a lista, a ordem dos álbuns é muito pessoal, cada site organiza de uma forma. Aqui no Southern Rock Brasil costumo usar os dados do Last.fm, rede social que utilizo desde 2009 e que torna fácil a compilação de tudo aquilo que escutei durante o ano. Muitos álbuns que indiquei irão aparecer em outras listas, mas a maioria vocês não irão encontrar. Na lista vocês irão encontrar álbuns Country, Blues, Bluegrass, Folk, Stoner e Rock, não garanto que irão amar todos, mas tenho certeza que irão se apaixonar por algum.

Aqui vocês não irão ver muitos nomes populares, aqui lido com um pedaço do underground que é renegado pelos grandes sites, aqui dedico meu espaço a uma galera que tem pouca ou nenhuma chance de divulgar seu trabalho.

Encerrei os trabalhos no site mais cedo em 2016, por isso deixei de escutar com mais atenção dois lançamentos que, sem dúvidas, estariam na lista. Para não deixar passar em branco, menção honrosa para "Maybe You Can Feel" do Lorenzo Tassinari e "A carne é fraca" da Mattilha.

Por fim, não deixem de seguir a playlist dessa lista no Spotify.

CLIQUE NO NOME DO ÁLBUM PARA ESCUTAR

50 - Leo Maier Trio - Guitar In My Hand
49 - B.R 316 - B.R 316
48 - Hovel - Equinoxes
47 - IsmeraRock e o Calibre Dobrado - Calibre
46 - Mastodonte - Fora do Controle
45 - Guaiamum - Guaiamum
44 - TRNK - Until It's Over
43 - Mojo Society - ZugZwang
42 - Anderson Camelo Band - Slide Groove
41 - Dotô Tonho - Dotô Tonho
40 - Felipe Grilo - Singular
39 - Booze n' Blues - O Amor é um cão dos diabos
38 - Dog Man - Homo Homini Canis
37 - Masthodontes - Cartas
36 - Gabriel Yang - Poeria
35 - Busker Denim - Busker Denim
34 - Old Stuff Trio - Just Trying
33 - Delta Boy Walt - Calm Down
32 - De Blues em Quando - Você Vai Curtir
31 - Clube de Patifes - Casa de Marimbondo
30 - Mescalines - Mescalines
28 - David Tanganelli - Up
27 - Pedro - Zam
26 - Pagan John - Inesperado
25 - Mentol Trio - Especiarias
24 - Redneck Murder - No Road is Too Long
23 - Motorgun - Motorgun
22 - JOHN - Pompeia
21 - Blues da Casa Torta - Desventuras
20 - O Barco, a Ponte e o Sótão - Todas as Outras Maneiras de Dizer a Mesma Coisa
19 - Viratempo - Viratempo
18 - Cattarse - Black Water
17 - Jes Condado - Shades of Blue
16 - Pesta - Bring Out Your Dead
15 - StringBreaker and the StuffBreakers - Rebreaker
14 - Muñoz - Smokestack
13 - Lara & Jackpot Band - Trouble
12 - Selvagens à Procura de Lei - Praieiro
11 - Filippe Dias - Borderliner

10 - Arthur Matos - Homeless Bird: Vocês podem não conhecer o sergipano Arthur Matos, mas ele não é um novato na cena Folk nacional. "Homeless Bird" é seu quarto álbum de estúdio e não é muito difícil constatar que ele está cada dia melhor. Esse é um álbum delicado e extremamente sentimental, as letras ajudam muito a passar essa sensação, mas a voz dele é que te faz mergulhar fundo em cada canção. O Arthur Matos tem um enorme potencial e "Homeless Bird" é uma pequena prova disso.

9 - Tiregrito - Laço Forte: Em seu novo trabalho, a Tiregrito mantém a pegada de seu primeiro trabalho, tem a música tradicional do sul do Brasil, o Rock e o Punk. O Country Rock é bem menos presente, mas isso não compromete o trabalho. Ao misturar estilos nada parecidos e ao compor letras com um estilo único, a Tiregrito se tornou das bandas mais criativas do Brasil. Eu gosto de bandas que fogem de rótulos, gosto das que se arriscam e deixam a mesmice de lado, por isso gostei da Tiregrito desde a primeira vez que escutei "Chumbo grosso e copo largo". "Sul do Mundo" abriu todas as portas para a banda, "Laço Forte" veio para manter essas portas abertas.

8 - Corcel Mágico - Primeiro Inverno: Os cariocas da Corcel Mágico não poderiam começar a carreira melhor, "Primeiro Inverno" não tem a melhor das gravações, mas as letras, principalmente, "Estação" e "Coisas simples que aprendi" são impecáveis e eu me conectei com elas. A primeira diz muito sobre a minha trajetória e a segunda segue a filosofia "Simple Man" que tanto amo. A banda faz uma ótima mistura de Folk e Bluegrass, mais uma boa banda para a cena nacional.
7 - Monoclub - Romperia: O tão aguardado debut da banda sorocabana de Folk Monoclub não decepcionou. Tive a oportunidade de assistir a banda ao vivo na Virada Cultural de Belo Horizonte em 2015 e fiquei encantado com a performance ao vivo desses caras, já conhecia o trabalho deles, mas esse show me fez acompanhar a banda diariamente atrás de novidades. A banda sabe muito bem mesclar suas influências nacionais com as internacionais, sendo esse um dos grandes diferenciais da banda. Você percebe as influências sem muito esforço, escuta um pouco de Almir Sater e Willie Nelson, Renato Teixeira e Wilco, mas não soa igual, a banda sabe muito bem unir as influências e criar uma identidade própria.
6 - Condado Caramujo - Condado Caramujo Vol.1: A estréia da Condado Caramujo, é composta por sete canções em português e mistura o Bluegrass, o Punk e o Outlaw Country em suas canções. Para quem curte a mistura desses estilos, esse álbum é tudo de bom. Os vocais do Chico Bill são muito bons, a instrumentação é ótima, as letras são muito características desse estilo e tem uns guturais espalhados pelo álbum, detalhe que caí muito bem nesse estilo. Espero que a Condado Caramujo dure mais que a maioria das bandas Country do país e espalhem seu som outlaw pelo país.
5 - The Baggios - Brutown: Esse álbum tem todos os elementos que fizeram da The Baggios uma das melhores bandas do país, o Blues, o Rock e as sonoridades regionais, mas com a adição de um tecladista, a banda está alçando novos voôs. A sonoridade está melhor, as letras conectadas com o momento que vivemos e a The Baggios fez o que parecia ser impossível, lançou um álbum melhor que seus antecessores.
4 - Rodrigo Haddad - Another Day: Se você é fã de Country nesse país e não conhece o Rodrigo Haddad, você falhou na sua jornada. O Rodrigo é uma referência no país e motivos não faltam, basta escutar sua discografia e ler um pouco da sua história. Gravado em Nashville, "Another Day" traz para nossos ouvidos o bom e velho Country que adoramos escutar. Com mais de 20 anos de carreira, o Rodrigo ainda consegue impressionar seus fãs. Que voz é essa? E que ótimas composições! Apesar de ser muito curto, esse EP vai arrancar muitos sorrisos dos fãs da boa Country Music.
3 - Eric Assmar Trio - Morning: O Eric Assmar é uma das grandes promessas do Blues nacional e "Morning" é a prova disso. O álbum passeia por diversas vertentes do Blues e me agradou mais do que a maioria dos álbuns que escutei vindos dos EUA, e não foram poucos. Se você escutar o álbum de estreia da banda e logo em seguida "Morning", perceberá que a evolução do trio é brutal, principalmente na produção e nos vocais do Eric. Acredito que em um futuro não muito distante, o Eric será o grande nome do Blues nacional.
2 - Muddy Brothers - Facing the Sky (Backwards): Os capixabas da The Muddy Brothers fazem uma mistura louca de influências: tem a loucura psicodélica dos anos 60/70, tem Stoner, tem Rock e, óbvio, muitas pitadas de Blues Rock. Tive a oportunidade de assistir a banda ao vivo e a experiência foi muito melhor do que escutar o álbum, certas bandas são ótimas em estúdio, mas é ao vivo que elas mostram todo seu potencial, que é o caso da Muddy Brothers. Com "Facing the Sky (Backwards)", a Muddy Brothers se junta ao grupo de elite do estilo no Brasil, que na minha opinião é composto pela Fuzzly, Cattarse, Black Drawing Chalks e Muñoz.

1 - Mary Lee & the B-Side Brothers - Fighting Demons: Não importa o nome da banda que acompanha a Mary Lee, ela tem o dom de tornar tudo em algo bom. "Fighting Demons" mostra isso a cada faixa e digo sem ter medo de parecer um "puxa-saco", poucas bandas no país estão no nível da Mary Lee & the B-Side Brothers. A banda tem uma grande vocalista, mas não é só isso, ela é acompanhada por músicos de grande qualidade e as composições são de alto nível. "Fighting Demons" não é só um álbum de altíssima qualidade para os padrões do Brasil, ele compete com muitos lançados fora do país. Uma das minhas grandes frustrações de 2016 foi não ter assistido essa banda ao vivo, mas uma hora isso acontece.
Tecnologia do Blogger.