Phillip Long lança campanha no Catarse


O Phillip Long lançou recentemente uma campanha de financiamento coletivo para gravar seu próximo álbum, totalmente em português. Vamos aos detalhes do projeto.

O MANIFESTO DE UMA PEQUENINA VIDA

Manifesto de uma pequenina vida podia ser mais uma dessas cartilhas sobre como levarmos nossa vida com o mínimo estrago possível, mas não é. É sobre a violência dos dias, sobre as formas que encontramos para resistir, os espaços que criamos para respirar.

Não é um manual. É a minha vida e a vida de muita gente, e essas coisas não podem ser calculadas em mesas frias, quer dizer, uma vida é muito maior do que qualquer outra coisa.

É sobre crescer dentro de um sistema que nos empurra pra baixo e que nos violenta, sobre inadequação, sobre escapar, sobre dirigir até os limites da cidade e fazer amor na carroceria, contar estrelas, sobre ser jovem dentro disso tudo. É sobre desejar viver com apenas o que importa, e o que realmente importa é quase sempre invisível e livre de qualquer hierarquia ou jogos de poder.

O PROJETO

Há muito tempo venho sonhando com essa ideia de um disco completo em português, que é uma espécie de retorno a algo que não é passível de compreensão, mas que me chama o tempo inteiro e não posso mais evitar. É como um desses casos de amor que nos tomam por completo e apontam uma direção, e a gente se joga sem saber ao certo no que vai dar.


Eu quero me jogar nisto do meu jeito, com o violão no centro de tudo, com o espírito e apenas ele apontando o caminho. Este será um disco de retorno ao folk, mais purista. Portanto, para fazer isto do jeito que deve ser, preciso da ajuda de quem alguma vez já foi tocado pela música que vem até mim, e para dar este passo preciso da ajuda de quem sempre caminhou comigo, em tudo que fiz e em tudo que vejo.

Nestes últimos tempos, a ideia de transformar este projeto em um movimento de comunidade, tem sido a palavra que me guia.

Essa é uma campanha sobre fazermos algo juntos, algo verdadeiro.

"Comunidade é uma das palavras que tem feito mais sentido pra minha vida. Esse disco desde o início é um disco de muitas mãos. Estamos arranjando juntos, tem muita gente trabalhando junto pra que este disco aconteça. O financiamento coletivo é um ritual, e a ideia do disco é um disco feito junto" - Phillip Long

GRAVAÇÃO

No fim de dezembro, entraremos em estúdio para as gravações do disco. Serão dois dias de imersão na Gargolândia, um estúdio situado em um sítio na cidade de Alambari, que fica a duas horas de São Paulo.

Todo o processo, desde os ensaios gerais e arranjos, será registrado pelo cinegrafista Koji Ogasawara da Tama Motion e lançado, posteriormente, como um documentário da feitura do álbum.

O disco será produzido e arranjado coletivamente pelos membros da banda. O projeto conta com direção geral e produção executiva de Ge Zaffani da produtora Solo Cultural.

FORMAÇÃO

Phillip Long - Voz e violão
Rafael Elfe - Violão, viola, bandolim, guitarra e gaita
Felipe Pizzutiello - Baixo
Mateus Rahal Sala Polati - Bateria e piano

Tecnologia do Blogger.