Estreia: Redneck Murder lança o EP No Road is Too Long


Recentemente o banjoísta, tocador de mala bumbo e fundador da banda de bluegrass O Bardo e o Banjo, Wagner Creoruska Junior, anunciou sua nova empreitada musical: a banda Redneck Murder, que tem como proposta um Southern Rock modesto, setentista, inspirado por artistas como The Allman Brothers Band, Lynyrd Skynyrd, The Flying Burrito Brothers e outros.

O EP "No Road is Too Long" é o primeiro registro da banda, e esta disponível na integra para streaming no Soundcloud e, com exclusividade, aqui no Southern Rock Brasil!

Assim como Wagner disse em sua entrevista recente para o nosso site (confira aqui a entrevista completa): "No Road is Too Long" nasceu despretensiosamente "durante as composições de novas musicas para o Bardo e o Banjo surgiram ideias de musicas mais pesadas, essas músicas soavam mais blues/rock, pediam uma bateria (não só bumbo e pandeiro), e foi assim que veio a ideia de criar o Redneck Murder, gravar essas músicas com banjo de lata, guitarra com distorção e vocais mais pesados".

Eu tive o prazer de estar no estúdio AudioFusion quando eles estavam gravando os vocais, nunca tinha ido a um estúdio acompanhar gravações e foi bem legal escutar as músicas na hora e depois escutar o resultado final.

Durante as gravações, muitas histórias foram contadas e pedi que todas fossem contadas em um Faixa a Faixa aqui no site. O Wagner cumpriu a promessa e aqui está o Faixa a Faixa e as músicas do EP:


1. Getting on the Road

Foi a primeira música que compus e foi a partir de uma demo instrumental dela, de outubro de 2015, que surgiu a ideia de gravar um EP com essa cara mais southern. O tema principal da música foi composto no banjo, depois tocado no banjo de lata. Ela abre o EP com o som do banjo, da versão original e segue com o tema do banjo de lata tocado na guitarra.

A letra fala de um cara que queria fazer sucesso com sua banda, fez um pacto com o diabo e pegou a estrada. Ao contrário do que esses tipos de estórias contam, quem não cumpriu o acordo foi o diabo, por achar a banda do cara ruim de mais (rs). Então ele quebrou o acordo e correu atrás por conta, pegando a estrada e colocando sua musicas "para rodar".

2. No Road is Too Long

A música que dá nome ao EP foi a última a ser composta e entrou nos 45 do segundo tempo. Na verdade nunca havíamos tocado ela com a banda antes da sessão de gravação onde foi feito o registro. Quase por ironia foi a música que mais gostamos e resolvemos fazer dela a "música de trabalho" que dá nome ao EP.

"No Road is Too Long" fala de viajar, sem destino. Alias, esse é o grande tema do EP "pegar a estrada, curtir a estrada" e as 3 primeiras músicas falam disso, reflexo de todo tempo que passei na estrada com o Bardo e o Banjo nesses últimos 3 anos.

3. Breaking the Floor

Essa música foi originalmente composta para o Bardo e o Banjo, chegamos até a ensaiá-la algumas vezes. Foi inspirada na vida do meu grande amigo e companheiro de banda Maurício Pilcsuk, que curte pegar a estrada com sua Harley Davidson, com seus amigos de clube, curtir várias festas e a letra fala disso.

Na gravação contamos com a participação da vocalista da banda The Dollar Bills, Fernanda Peviani, que gravou backing vocals nessa faixa e na faixa título "No Road is Too Long".

4. South American Man

Foi gravada completamente ao vivo durante as primeiras sessões do EP no projeto Converse Rubber Tracks, no Family Mob Studio. A ideia era ter uma cara bem rústica, tocada com banjo de lata, bumbo e pandeiro.

A música é um Blues, que fala de ser um curtidor de Southern Rock no Brasil. Uma cutucada também nos americanos que ainda acham que só eles podem fazer "Southern Rock".

5. Morning Talk

Foi uma das primeiras composições junto com "Getting on the Road". O riff do começo surgiu de uma ideia durante um ensaio de outra banda minha, o White Cats, e comecei a desenrolar ela até a formula atual.

A letra fala de um relacionamento que se tornou monótono, sem sal, como se cada dia fosse o mesmo e, como a vida em geral, se torna monótona girando em torno disso.

6. New Strike

Começa com um solo de guitarra onde usei uma técnica de tocar banjo chamada Clawhammer para gravar esse solo, dando um efeito bem interessante que lembra um delay.

A letra fala desse momento novo compondo, tocando e gravando com o Redneck Murder, de "voltar ao rock".

7. Calm Down

Pra fechar o EP essa canção mais "calma" que fala de "se acalmar, relaxar, os problemas vão passar". Não tenho filhos (apenas gatos por enquanto) mas compus essa música pensando que se eu tivesse filhos (ou quando tiver), gostaria de tocar ela para eles em um momento que eles estiverem com medo, apreensivos.

Durante a gravação dos vocais tivemos a presença do Filipi Junio, aqui do Southern Rock Brasil, e foi engraçado eu tentar explicar a ideia dessa música como se fosse a família do filme "O Iluminado", por mais estranho que pareça.

Eis então o primeiro EP do Redneck Murder, com um roupagem bem diferente do que tenho feito no Bardo e o Banjo, mas que bebe das mesmas fontes. Brincadeiras a parte, espero que curtam e acompanhem a gente nos futuros shows e novidades!
Tecnologia do Blogger.