O que o Jason Isbell, Sturgill Simpson e Chris Stapleton tem em comum?


Em uma matéria recente intitulada "Meet Three Country Badasses Who Are Shaking Up the Nashville Establishment", a revista GQ falou sobre a ascensão de três nomes na Country Music, Jason Isbell, Sturgill Simpson e Chris Stapleton. Cada músico tem uma forma diferente de abordar o Country, mas tem duas coisas em comum, são compositores extraordinários e tiveram seus últimos álbuns produzidos pelo Dave Cobb, o ponto de união desses três músicos e de diversos outros que estão se destacando na Country Music.

Se eu fizer uma lista dos melhores álbuns lançados nos últimos 3 anos na Country Music, pode ter certeza que irá encontrar no topo muitos álbuns produzidos pelo Dave Cobb. De 2013 para cá, ele produziu "High Top Mountain" e "Metamodern Sounds in Country Music" do Sturgill Simpson, "Southeastern" e "Something More Than Free" do Jason Isbell, "Traveller" do Chris Stapleton, "Tin Star" e "Faded Gloryville" da Lindi Ortega e o álbum que está no topo da minha lista da década, "Early Morning Shakes" da Whiskey Myers. Só para completar, ele produziu todos os álbuns da Rival Sons, seis álbuns do Shooter Jennings, o primeiro da A Thousand Horses e uma penca de outros álbuns.

Na matéria citada, o Chris Stapleton elogiou o trabalho feito pelo Dave Cobb em "Metamodern Sounds in Country Music" do Sturgill Simpson. "Sim, bem, eu gostei do som desse registro", diz Stapleton. "Sonoramente, eu não sabia que algo como isso ainda poderia existir. Eu pensei que era algo que havia se perdido para as técnicas modernas, tecnologia, algo assim. No passado, eu nunca tinha conseguido engenheiros ou produtores que realmente entendessem a música da maneira que eu ouvi na minha cabeça. Mas Dave Cobb não tem medo de fazer qualquer coisa. Ele não tem medo de nada no estúdio. Ele não tem medo de fazer um disco que não soa como o que está acontecendo. Ele não compara o som de um registro para outros registros. Ele diz: "Eu quero fazer parecer o que quer que isto possa soar." E isso é um processo de pensamento radical."

É fato que os músicos são diferenciados, mas não adianta ser talentoso e o produtor não ajudar. O Dave Cobb é sempre muito elogiado por não ter medo de arriscar e isso pode ser visto claramente em "Metamodern Sounds in Country Music", que foi antecedido por um álbum puramente tradicional e pegou todos de surpresa e foi o sucesso que foi. Ainda nesse ano, ele produziu um dos meus álbuns favoritos ever, o "Early Morning Shakes" da Whiskey Myers. Mas nada se compara a 2015.

Ano passado foi especial para o Dave Cobb, ele produziu "Something More Than Free" do Jason Isbell, "Traveller" do Chris Stapleton, "Faded Gloryville" da Lindi Ortega, "Southernality" do A Thousand Horses, todos destaques nas listas de melhores do ano, principalmente os dois primeiros, que foram indicados para vários prêmios em 2015 e 2016,

Com tanto sucesso de seus álbuns, é claro que o Dave Cobb foi indicado ao Grammy de Produtor do Ano, onde é o grande favorito. Em 2016, temos a certeza que ele também será destaque, já está confirmado o lançamento dos novos álbuns do Sturgill Simpson e Holly Williams, dois álbuns bem aguardados.

Posso estar exagerando, mas a nova ascensão do Country tradicional está muito ligado ao trabalho do Dave Cobb, que não é o único bom produtor do estilo, mas é o que se destaca. Com tantos sucessos, tudo o que ele produzir chamará atenção, então fiquem de olho nos trabalhos produzidos por esse cara.

Segue uma playlist com algumas músicas dos álbuns produzidos por ele.

Tecnologia do Blogger.