Melhores álbuns que escutei em julho e agosto de 2015


Mais dois meses se passaram e aqui estou novamente para mostrar os álbuns que mais gostei, dessa vez dos meses de julho e agosto.

Não se esqueçam de ler as matérias dos álbuns que mais gostei em janeiro/fevereiro,  março/abril e maio/junho.

Alabama Shakes - Sound & Color

Eis um álbum que demorei para gostar! "Sound & Color" é um daqueles álbuns que não são fáceis de se acostumar, ainda mais quando a pegada é muito diferente o arrasador álbum de estreia da banda. Esse será um álbum muito comum de se ver nas listas de melhores do ano.


Alan Jackson - Angels and Alcohol

Raramente o Alan Jackson decepciona os fãs. Eu não gostei do "Bluegrass Album", gosto do Alan que escutei em "Angels and Alcohol", é esse que todos querem escutar.



Albert Cummings - Someone Like You

O Albert Cummings é um músico experiente, já tocou ao lado de B.B. King, Johnny Winter e Buddy Guy, e esse novo álbum dele estava sendo muito aguardado pelos amantes do Blues. Ele acabou sendo ofuscado por outros lançamentos, principalmente os do Warren Haynes, Buddy Guy e Ronnie Earl, mas é um grande álbum, em alguns aspectos melhor que os citados, mas o nome dele não tem o mesmo peso desses caras.


Artur Menezes - Drive Me

Escutei o álbum poucas semanas antes de assistir o guitarrista ao vivo, as músicas passaram no teste do ao vivo, algumas ficaram ainda melhores. Um dos grandes lançamentos nacionais de 2015.



Buddy Guy - Born To Play Guitar

O bastão de grande ídolo do Blues vivo foi passado para ele após a morte do BB King. O que ele fez? Lançou um grande álbum! Eu pirei quando escutei "Thick Like Mississippi Mud" pela primeira vez, me arrepio todas as vezes que escuto essa faixa.



Caixa Prego - Rock n' Roll Feito no Sul

Eis uma banda e um álbum que me surpreendeu. Não estava esperando esse lançamento, soube quando um membro da banda me enviou e gostei no primeiro play. Os caras já tinham lançado um grande álbum, "Yokels", e agora com "Rock n' Roll Feito no Sul", se colocam na linha de frente das bandas paranaenses e uma das que mais gosto no Brasil.



Cornmeal - Slow Street

Passaram-se nove longos anos desde o lançamento do ótimo "Feet First", segundo álbum de estúdio da Cornmeal, uma das minhas bandas preferidas quando o assunto é Jamgrass ou Pregressive Bluesgrass, chamem como achar melhor. Eu amo Bluegrass, mas amo mais as jam bands que tocam Bluegrass. É magnifico escutar longas faixas como "Coming Back Home" e "Rise Above".


Daniel Romano - If I’ve Only One Time Askin'

O Daniel Romano, muitas vezes, injustamente, chamado de hipster e aventureiro na Country Music, mas o cara faz um ótimo trabalho, muito mais Country que muitos aí. Não está no mesmo nível do anterior, que foi acima da média, mas ainda é um grande álbum.


Folk Soul Revival - Out of the Box

Essa é uma das bandas que mais gosto da atualidade, ela já apareceu em algumas listas aqui no site, por isso esperei bastante por esse novo álbum. Eles fazem uma ótima mescla do Country, Rock e Americana. Mais um álbum para embelezar a discografia deles.


Jamie Lin Wilson - Holidays & Wedding Rings

É impressionante como vozes tão belas passam desapercebidas pelo mundo. Fico feliz quando escuto uma bela voz pouco conhecida, que é o caso da texana Jamie Lin Wilson. Nesse álbum ela fala muito sobre família, um tema em que ela se sente muito confortável para compor.


Jason Isbell - Something More Than Free

O Jason Isbell é um dos melhores músicos da atualidade, a crítica confirma isso a cada álbum e os fãs endossam. E sem dúvidas foi complicado escutar "Something More Than Free"! Foi impossível não comparar com "Southeastern", que foi impecável em todos os sentidos. No final das contas, "Something More Than Free" é um grande álbum, mais um com nota máxima e que merece destaque em qualquer lista que se prexe. A crítica amou, os fãs adoraram, por isso estreou no topo da Billboard Country Albums, deixando o Alan Jackson em segundo.



Kacey Musgraves - Pageant Material

Eu juro que fiquei com medo desse álbum! Não sei o motivo, mas não gostei do primeiro single do álbum, "Biscuits". Quando "Family is Family" foi lançado, me animei mais e ao escutar "Dime Store Cowgirl", tive a certeza que "Pageant Material" seria um dos grandes álbuns do ano, até comecei a gostar do primeiro single.


Lindi Ortega - Faded Gloryville

Eu sou do tipo de que prefiro me encantar pelos músicos da minha época, prefiro fazer deles meus verdadeiros ídolos, a Lindi Ortega é a minha referência máxima quando o assunto é Country cantado por mulheres. Vocês podem citar dez nomes que podem ser melhores que ela, mas nunca irão me convencer. Se vocês não conhecem o som dela, escutem "Faded Gloryville", estarão fazendo um grande favor aos seus ouvidos!


Raccoonies - Raccoonies

O grande problema dessa banda é ter um membro conhecido por ser um amante do Bluegrass, muitas pessoas se decepcionaram com esse trabalho dele. No início fiz parte dessa galera, mas hoje vejo esse álbum com outros olhos. A banda soa bem pop, mas tem sua dose de Country, algo que se espera de qualquer trabalho do César Benzoni, blues e rock, e é como eles dizem, o álbum é repleto de "diversos-estilos-desde-que-sejam-bons". Não menospreze o potencial desse álbum.



Republique du Salem - Republique du Salem

Essa é uma banda que me orgulho demais de acompanhar cada passo. Eles apostaram pra valer na produção desse álbum, viajaram para os EUA e foram produzidos pelo Marc Ford (ex-Black Crowes). O resultado é um grande álbum, bem mais Blues que o primeiro e todo em inglês. A evolução da banda é gigante se comparada com o primeiro álbum.



Rio Grande - Rose´s Cafe

"Rose´s Cafe" é um dos álbuns de Blues que mais gostei em 2015, incluindo os internacionais. Teria escutado muito mais se estivesse no Spotify, é mais um ótimo trabalho que não tem a divulgação adequada. Esse vai brigar pelas primeiras posições na lista de melhores de 2015.



Ronnie Earl - Father's Day

O Ronnie Earl é das antigas, está na ativa desde o final dos anos 1970, mas parece que ele ainda não esgotou seus truques. "Father's Day" é um dos melhores álbuns lançado por ele nos últimos tempos, sem dúvidas irá agradar muitos os fãs.


Samantha Fish - Wild Heart

"Wild Heart" é o terceiro álbum solo da guitarrista e vocalista Samantha Fish, mais uma blues woman para nos encantar. Ela tem 26 anos e é uma das maiores revelações do Blues e "Wild Heart" é seu melhor trabalho até agora. Não sei o motivo, mas vejo muitas influências de Allman Brothers e Gov't Mule, seja nos solos ou na forma como ela canta. Vale lembrar que o álbum tem o selo de qualidade Luther Dickinson, que produziu o CD.



Straight Shooter - Another Whiskey

Essa banda foi uma indicação, a melhor do ano! Os californianos fazem uma mescla muito boa de Rockabilly/Honky Tonk/Punk Rock, isso mesmo, tudo isso junto. O EP é pequeno, mas não tem uma canção ruim.



Swampdawamp - That Easy

Passaram-se quase 4 anos desde o lançamento do último álbum de estúdio da banda, "Short Stories from a Long Road", nesse período a banda mudou alguns membros, trocou de nome e voltou a se chamar Swampdawamp. Demorou, mas finalmente lançaram "That Easy". Foi um dos raros lançamentos de Southern Rock em 2015 e é candidato a melhor álbum do estilo.

The Honeycutters - Me Oh My

A vocalista Amanda Anne Platt é a "estrela" da banda, ela compôs e canta todas as canções e produziu o álbum. Esse álbum é para quem curte um bom Country, músicas bem trabalhadas e um vocal feminino de primeira linha. Compartilho da opinião do Trigger, que disse "esta é uma faixa, um álbum e uma compositora que tanto a Americana e Country deveriam prestar maior atenção."



The Lowest Pair - I Reckon' I'm Fixin' on Kickin' Round to Pick a Little

Dois álbuns no mesmo anos e ambos apareceram em nossas listas. O Bluegrass dessa dupla é simples, banjo e voz, nada de novo, nada espetacular, mas essa simplicidade da dupla é cativante.



The White Buffalo - Love and the Death of Damnation

O Jake Smith é um compositor diferenciado e tem uma voz inconfundível, isso é um fato inquestionável. Muitos fãs não gostaram muito do álbum anterior, não por ser ruim, mas por ser temático e preso a uma única história. "Love and the Death of Damnation" contém diversas histórias e diversos tipos de sentimentos envolvidos. E poucos conseguem expressar tão bem os sentimentos em uma música como o Jake. Nunca me perguntem qual meu álbum preferido dele, não irei responder, não sei se essa resposta existe.

Warren Haynes & Railroad Earth - Ashes & Dust

O Warren Haynes é o tipo de músico que irá lançar bons trabalhos em qualquer estilo que decidir tocar, inclusive reggae (ele lançou nesse ano "Dub Side of the Mule", álbum com músicas do Mule em reggae). Em "Ashes & Dust" ele se juntou a Railroad Earth, uma das mais populares bandas de Bluegrass da atualidade. Esse álbum é diferente de tudo o que você já escutou do Warren Haynes, mas tenho certeza que irá agradar.
Tecnologia do Blogger.