Kid Rock - Born Free (Review)



Desde o álbum Cocky lançado em 2001 que Kid Rock vem flertando com o Southern Rock e country, a cada álbum esse tipo de música foi tomando mais espaço em seus discos até que, em minha opinião, ele conseguiu mudar completamente o rumo de sua carreira. Estou falando de "Born Free", lançado em 2010, pela gravadora Atlantic e produzido pela lenda Rick Rubin. Com participações especiais de peso ele conseguiu um álbum de peso, maduro, com letras e harmonias sensacionais e sem falar um único palavrão, algo inédito até então. Mas vamos ao que interessa por que não quero tomar muito do seu tempo com números e nomeações, afinal o que interessa sempre é a música!

"Born Free" é o tipo de som que me dá vontade de montar no carro, abaixar o volume e sair por aí sem destino, livre mesmo. Com um refrão chiclete e uma letra muito bem escrita, essa faixa consegue passar exatamente a proposta do disco, liberdade. A seguinte "Slow my roll" reforça a ideia de mudança e novos caminhos. Uma bela canção, diga-se de passagem.

"Care" invoca o espírito do soul music com Martina McBride e remete ao passado rap de Kid Rock com a participação de T.I., uma mistura que mostra que o country, soul e rap conseguem conviver muito bem se trabalhados corretamente. Pelo que me lembro é a última música a conter algum tipo de Rap em seus álbuns, de "Born Free" pra frente foi praticamente abolido de seus discos.

"Purple Sky" é sensacional, ouso dizer que na humilde opinião deste que vos escreve é a melhor do disco. Tem tudo que um hit precisa pra fazer sucesso, harmonia, letra e estrutura, incluindo uma paradinha de batera no refrão que me lembrou os saudosos anos 80 do Hard Rock Angelino. Dispa-se de pré-conceitos e escute ela com o volume no talo de preferência.

"When It Rains", "Times like these" e "Rock on" são boas músicas, mas a balada "Collide", com participação de Sheryl Crow e Bob Seger no piano, ofusca as três. Poderia escrever um parágrafo sobre ela e mesmo assim não conseguiria explanar sua magnitude. Tem alguma garota que você tem uma queda e ela não te dá bola? Essa é a música. Se não conseguir um sorrisinho e/ou que ela comece a te olhar de forma diferente é porque ela é E.T.. Ponto.

"God Bless Saturday" e "Rock Bottom Blues" são pra levantar defunto e botar fogo na galera, músicas animadas, no melhor estilo foot stompin, anima até funeral.

"Flyin´ High" é a música para escutar tomando uma cerveja, whisky, ou o veneno que agradar mais. A parceria com Zac Brown rendeu um fruto muito bom, talvez junto com "Purple Sky" os melhores do álbum. Acenda um cigarro, pegue uma gelada, sente na sua cadeira preferida e curta a música.

"For the first time (in a long time)", cConfesso que essa particularmente eu não entendi, não sei se foram os falsetes no vocal. Ou sei lá o que... Mas acho que poderia ter passado sem essa. A letra é bacana, na linha de mudança, novo começo, etc, mas não me convenceu. Opinião minha.

Bom, acho que é isso, críticas, comentários e sugestões são sempre bem vindos. Espero que gostem, pois eu com certeza eu estou adorando fazer parte do time da Southern Rock Brasil, espero aparecer por aqui mais vezes!



Caco Oehlmeyer é de São Carlos, interior de São Paulo e desenvolveu o gosto pelo country há muito tempo atrás, quando Chattahoochee e Standing Outside the Fire faziam sucesso na finada MTV. A partir disso foi aprimorando os ouvidos e conhecendo novos artistas e bandas do meio country/southern. Atualmente tem um carinho muito especial por Blackberry Smoke e Johnny Cash.
Tecnologia do Blogger.