Entrevistamos os paranaenses da Tiregrito



Das mais de 160 bandas que acompanho através do Southern Rock Brasil, posso dizer que a Tiregrito é a banda do momento. Em março os paranaenses de Francisco Beltrão lançaram o EP "Sul de Mundo", uma mistura dos sons tradicionais do sul dos EUA com os do sul do Brasil. Nesse curto espaço de tempo, a banda já teve quase 30 mil plays no Soundcloud, um número muito significante para uma banda independente naquela plataforma, além de estarem liderando, com folga, o concurso que irá colocar uma banda no Rock in Rio 2015.

Curtam nossa breve entrevista com o vocalista da banda, o Rafael Barzotto, escutem as faixas da banda, sigam no Facebook e não se esqueçam de deixar um voto lá no concurso do Rock in Rio.

Southern Rock Brasil - Primeiramente, fale um pouco sobre a banda para nossos leitores e como é a vida de uma banda que não tem nenhum integrante dedicado 100% a música?

Rafael Barzotto - O fato de todos termos nossos trabalhos nos deixa pouco tempo pro ensaio, que tem um pouco a ver com o começo da banda. O nome Tiregrito veio por que a gente tocava sem ensaiar, no improviso, no "grito". Eu sempre morei longe dos outros caras. Morei em Pato Branco, Cascavel e Brasilia.

Então marcávamos os shows e não conseguíamos ensaiar. O processo de composição também era assim tudo muito rápido. Um gravava uma ideia, mandava pro outro e iam se formando as músicas. Agora nos todos moramos na mesma cidade. E isso foi acidental. Agora nos temos mais tempo pra se dedicar aos ensaios e composições. Ensaiamos ontem inclusive e terminamos de compor duas novas músicas que estava engatilhadas. Assam os uma costela minga e tomamos uma caixa de cerveja.

Southern Rock Brasil - Como surgiu a ideia de misturar o Country, o Folk e o Rock com os ritmos tradicionais do Sul?

Rafael Barzotto - A ideia de misturar foi o seguinte. A gente estava meio cansado desses rótulos. Ah! Você é punk e os punks não se dão com a galera do metal. Ou você é Indie e não se dá com os caras do Grunge. Porra! Música boa é música boa. O que a gente ouve hoje é bom, mas a raiz é a mesma. E o extremo disso é entender que Teixeirinha tem muito mais a ver com o Johnny Cash do que com o Chitãozinho e Xororó. Aliás, Chitaozinho e Xororó tocam vários covers do Country americano.

Enfim... tentamos juntar a música boa que a gente ouve com as músicas boas que nossos pais ouviam.

Southern Rock Brasil - Como surgiu a chande de ter o Mutant Cox (Hillbilly Rawhide) participando de uma das faixas da banda?

Rafael Barzotto -  A ideia de chamar o Mutant veio dos guris, que assistiram vários shows da Hillbilly Rawhide e piraram no som dos caras. Eles meio que eram o que a gente queria ser no futuro. Eu conheci o som deles um tempo depois. No começo eu fiquei meio relutante com a ideia (confesso). Mas depois achei maravilhoso e hoje não imagino a música sem a voz cavernosa do Mutant. Ele parece que engoliu um ralador de queijo.

Southern Rock Brasil - E o futuro? Vocês tem algo novo planejado para esse ano?

Rafael Barzotto - E o futuro...Não sei. Se me falassem há duas semanas que a Tiregrito ia tocar no Rock in Rio eu chamaria a pessoa de louca. Hoje, essa possibilidade existe. É longa a estrada, mas a gente confia. Ainda mais com o apoio que a galera tá dando e a repercussão gigante que isso tomou nas redes sociais.



Tecnologia do Blogger.