Melhores álbuns que escutei em março e abril de 2015


Mais dois meses se passaram e aqui estou novamente para mostrar a vocês os álbuns que escutei e mais gostei em março e abril. Nesse curto período tivemos muitos grandes lançamentos e foi bem fácil listar esses álbuns. Se ficarem curiosos, leiam as baboseiras que escrevi dos álbuns que escutei em janeiro e fevereiro.

Sem mais delongas, fiquem com minhas palavras nada coerentes sobre esses belos álbuns.

Aaron Watson - The Underdog

É até difícil falar desse álbum, ele é muito bom para tentar resumir em algumas linhas. Algumas faixas do álbum foram lançadas em 2014, o que gerou uma expectativa enorme por parte dos fãs do cowboy texano. Eu era um desses e minhas expectativas foram totalmente superadas, Muitos fãs irão dizer que o álbum está pop demais, que fugiu do tradicional estilo do cantor, não discordo de nenhuma dessas opiniões, mas isso impede o álbum de ser bom?


Asleep At The Wheel - Still the King: Celebrating the Music of Bob Wills and His Texas Playboys

A coisa é simples, o Asleep At The Wheel, uma das melhores bandas Country de todos os tempos, resolve chamar alguns amigos para celebrar a música do Rei do Western Swing, nosso amado Bob Wills. Você acha que pode ter dado errado? Eis alguns dos músicos convidados: Willie Nelson, Old Crow Medicine Show, The Avett Brothers, Merle Haggard, Pokey LaFarge, The Time Jumpers, George Strait, Buddy Miller, The Devil Makes Three, Shooter Jennings e muito mais, impossível dar errado e não deu.


Audergang - Blues For The Blues

Como é bom ver uma banda da sua cidade lançando um grande álbum. Sempre reclamo que Belo Horizonte tem uma cena fraca, ainda é uma realidade no Country, mas no Blues a coisa está fervendo por aqui. Fui no lançamento do álbum aqui em BH e foi sensacional, a banda é ótima ao vivo e as músicas, como tem que ser no Blues, ficam melhores ao vivo.


Brandi Carlile - The Firewatcher's Daughter

Eu amo esse meu prazer por descobrir "novos sons", sempre me deparo com algum artista que me torno fã instantaneamente, foi o que aconteceu com a Brandi Carlile. Em determinado momento o álbum é melancólico, "The Eye", logo em seguida temos a animada e cativante "The Things I Regret", uma verdadeira montanha russa. Escutem "The Stranger at My Door", uma das performances vocais que já escutei na minha vida.


Dwight Yoakam - Second Hand Heart

Admito que não gostei do último álbum dele e por isso escutei esse álbum com cuidado, que só durou até o primeiro minuto da primeira faixa. O álbum todo é o que um fã do Yoakam espera, esse é o Dwight Yoakam que aprendi a gostar, esse é o Yoakam que todos querem escutar.


Igor Prado Band - Way Down South

Como é bom ver o Igor Prado ganhando notoriedade nos  EUA e, consequentemente, no Brasil. Esse álbum está recebendo muitas criticas positivas pelo e está excursionando como um louco. Isso não aconteceu no nada, o Igor e a banda estão a mais de 16 anos na estrada e merecem tudo o que está acontecendo em 2015.


JeConte - Down By The Bayou

Esse álbum foi uma surpresa. Muitos não tem ideia de quem é o JeConte, mas quem acompanha o trabalho do Anders Osborne sabe como o trabalho do gaitista é bom, só não sabia que ele cantava bem, uma das maiores surpresas do ano na minha humilde opinião. Não chega a ser espetacular, mas irá agradar os fãs de Blues.


Jim White Vs. The Packway Handle Band - Take It Like a Man

Escutei poucas vezes algo do Jim White, mas percebe-se que o som dele está diferente nesse álbum, o que para mim não faz diferença. Se você curte Bluegrass com um toque mais moderno, não deixe de escutar esse álbum, não é nenhum clássico, apenas um bom álbum que vai te agradar.


Justin Townes Earle - Absent Fathers

A música está no sangue do Justin, ele é filho do grande Steve Earle, que lançou um grande álbum em 2015 também. Conheci ele bem recentemente e descobri com esse álbum o motivo dele sempre ter sido considerado uma promessa. Ele tem um talento natural, uma bela voz e compõe como poucos. É inegável que o talento do pai foi para ele, mas de uma forma evoluída.


Nelsons Trap - Fast & Forward

Eu fico orgulhoso em ver que uma banda que divulguei dois anos atrás está lançando um CD, é como me sinto com a Nelsons Trap. Esse álbum pode ser baixado gratuitamente no site da gravadora da banda, não deixem de conferir o trabalho dos caras.


Pokey LaFarge - Something In The Water

Vocês não tem ideia de como fiquei feliz quando soube que o Pokey LaFarge ia lançar um novo álbum. Escutar o som dele é viajar no tempo, ir lá para os anos 1930. Esse som vintage, que mistura Blues, Jazz e Country roots, é brilhante. Outros também fazem essa mistura, mas não conheço quem soe tão original como ele.


Red Mess - Drowning In Red EP

Essa é mais uma banda que acompanho desde seus primórdios, da época em que ainda se chamavam. Skullage Coopers. É impressionante ver como esses garotos evoluíram em tão pouco tempo, o som deles está cada dia melhor e, consequentemente, estão se destacando na cena Stoner nacional. Escutem o EP no Bandcamp.



Richie Furay - Hand In Hand

Como é bom ver um dos pais do Country Rock na ativa, ainda mais quando ele está cantando como um jovem, algo impressionante para um senhor de 70 anos. Fazia muito tempo que não escutava Poco e Buffalo Springfield, mas assim que terminei de escutar o álbum, corri para escutar algo de seus clássicos nessas bandas.


Robben Ford - Into The Sun

Terceiro CD em três anos e todos mantendo um ótimo nível. Nos dois últimos ele foi mais em direção do jazz, pelo menos foi o que percebi, em "Into The Sun" o som está mais variado, tem blues, rock, funk e jazz, tudo apresentado de uma forma bem natural. Essa sequencia de bons trabalhos, coloca o Robben Ford em destaque no Blues moderno, um dos melhores guitarristas da atualidade.


Seasick Steve - Sonic Soul Surfer

De todos os álbuns que escutei nesses dois meses, o mais esperado era "Sonic Soul Surfer", não preciso ficar explicando os motivos, qualquer coisa do Mendigo do Blues gera expectativa. O álbum não decepciona. Li um trecho de uma entrevista dele para o site da Red Bull e só me tornei mais fã desse velho bluesman: "O disco todo é basicamente eu e Dan (Magnusson) sentados, bebendo e tocando. Não tem muita produção, mas sei que estou fazendo o que eu quero". Ele é sinceridade pura!


Sofia Talvik - Big Sky Country

O mais impressionante nesse álbum é a voz dessa sueca, ela é doce e combina com as faixas, todas muito calmas, perfeitas para aqueles momentos em que você quer curtir a tranquilidade, algo bem difícil nos dias atuais. "Big Sky Country" e "Bonfire" são duas faixas que grudaram na minha cabeça, ambas com belas letras e vocais magníficos.


The Lone Bellow - Then Came The Morning

O primeiro álbum deles foi avassalador, os críticos adoraram e os fãs apaixonados, e como é de se esperar, o segundo álbum sempre gera uma enorme expectativa. Nem todos gostaram, mas pode-se notar que a banda está criando sua identidade, um estilo que está cada dia melhor. No primeiro álbum o Zach dominava os vocais, agora o Brian e Kanene contribuíram demais e pude perceber os vocais deles se distinguindo dos do Zach, o que criou uma ótima harmonia. Um dos grandes álbuns de 2015.


The Lowest Pair - The Sacred Heart Sessions

Banjo, violão e voz, não existe combinação melhor que essa. "The Sacred Heart Sessions" se desenvolve por quarenta minutos nessa pegada tradicional, sem uma mega produção, só a dupla e seus instrumentos. A Hillary Saunders do Paste Magazine, uma das críticas mais chatas que conheço, disse que o primeiro álbum da banda, "36¢", foi "perversamente esquecido", uma pena que esse também será o caso desse álbum, mais uma bela obra lançada pela dupla.


Tinsley Ellis - Tough Love

O Tinsley Ellis é bem conhecido na cena Blues e tem uma longa discografia, que é cheia de altos e baixos, mas nunca teve um álbum que se destacasse dos demais, aquele referência para conhecer o trabalho do artista. "Tough Love" acabou com esse "problema", e isso não é só o que os fãs acharam, ele também afirmou nunca ter sentido tanto orgulho de um álbum seu.


Velhos Abutres - All In EP

O blues está fervendo no Nordeste do Brasil, posso estar errado, mas a cena de lá é a que mais está crescendo, em número de fãs e bandas autorais. Quando escutei esse EP no Soundcloud e parei para pensar a quantidade de boas bandas nordestinas que tem aparecido no site, decidi criar uma playlist com as bandas que conheço da região. Tomara que as bandas de lá se organizem e criem um festival independente, a cena merece essa reunião.


Will Hoge - Small Town Dreams

O Will Hoge é um dos exemplos de que para ser bem sucedido não precisa estar tocando constantemente nas rádios. Ele conquistou um público fiel ao longo dos últimos 15 anos e já não precisa provar mais nada a ninguém, o que ele faz é apenas lembrar o que todos já sabem, que ele é um grande compositor e cantor. E que ele continue a ser um dos segredos mais bem guardados da música independente.


William Elliott Whitmore - Radium Death

Que bom que escutei esse álbum, graças a ele conheci mais um grande artista da minha geração. Escutei ele diversas vezes e fui procurar algo mais do artista. Fiquei impressionado com a qualidade da discografia desse cara e não sei como demorei tanto para descobrir seu som. "Radium Death" é bom do início ao fim, sem espaço para músicas ruins. Cada dia mais tenho certeza que a boa música não está morta, nós ouvintes que estamos mais preguiçosos, sem vontade de fuçar o undergound atrás de novos ídolos.

Tecnologia do Blogger.