10 vocalistas femininas de Country Music que você deve escutar


Recentemente estava refletindo sobre as mulheres na música dos dias atuais. Vemos muitas em destaque no cenário internacional, algumas são ótimas, mas a maioria não passam de mulheres bonitas que não sabem cantar tão bem, mas graças a uma super produção, se tornam as queridinhas do público, principalmente por serem bonitas e sexy, o resto o Pro Tools e bons marqueteiros arrumam.

Pensando nisso, separei 10 ótimas cantoras Country que não precisam se apoiar na sua beleza para serem consideradas boas, dez mulheres em que a aparência é algo secundário, o talento musical é o mais importante.

Decidi escolher cantoras mais novas e que ainda estão criando seu espaço. Espero que gostem.

Abigail Washburn


Todos os álbuns da Abigail foram bem sucedidos nas paradas especializadas em Bluegrass, mas foi com seu último lançamento, "Béla Fleck & Abigail Washburn" ao lado Béla Fleck, que ela ganhou mais notoriedade. Eu indico o álbum "City of Refuge", para mim, a obra-prima dela.


Alynda Lee Segarra (Hurray For The Riff Raff)


Depois do lançamento do aclamado "Small Town Heroes", poucos ousam dizer que a Segarra é uma das vocalistas mais promissoras da atualidade. Eu me viciei nesse álbum, são canções simples, com letras repletas de críticas e sentimentos, baseadas na voz dela e sem muito espaço para solos dos instrumentos.


Amanda Shires


Ela é casada com o Jason Isbell, motivo suficiente para gostar dela, mas ela tem a sua própria estrela. Além de ser muito elogiada por sua bela voz, que me lembra um pouco a da Emmylou Harris, ela toca violino e ukelele. Quem quiser conhecer melhor a música dela, indico o álbum "Carrying Lightning" e as diversas participações especiais que ela faz em álbuns de outros artistas, que destaco o álbum "Nothing's Gonna Change the Way You Feel About Me Now" do Justin Townes Earle.


Aoife O'Donovan


Conheci a Aoife O'Donovan graças ao ótimo trabalho dela ao lado da banda de Bluegrass Crooked Still, que infelizmente encerrou as atividades em 2011. O primeiro álbum solo dela, "Fossils", foi melhor do que esperado e é o trabalho dela que mais gosto, mesmo contando com os de sua antiga banda. Agora ela faz parte de um projeto chamado I'm With Her, ao lado da Sara Watkins e da Sarah Jarosz.


Caitlin Rose


A Caitlin Rose, juntamente com a Lindi Ortega, me despertaram o interesse por novas vozes femininas. Sempre escutei Loretta Lynn, Patsy Cline, Dolly Parton e Emmylou Harris, mas a renovação da minha biblioteca musical se iniciou quando escutei o impecável "The Stand-In", álbum em que ela alcançou o ponto ideal de junção entre o Country e o Pop, não esse Pop que escutamos nas rádios, mas aquele que as grandes musas da Country Musicse tornaram populares nos anos 50 e 60.


Lindi Ortega


Definitivamente a Lindi Ortega é a minha cantora preferida de todos os tempos! Ela é canadense com descendência mexicana e irlandesa, uma mistura bem interessante, e por muitos anos ela foi uma artista independente em Toronto, Canadá, até ser "descoberta" por Nashville. Depois dessa descoberta ela lançou três álbuns e cada um tem sido melhor que o outros. Indico o último álbum dela, "Tin Star".


Lydia Loveless


Ela foi criada escutando Country Music, seu pai era dono de um bar na sua cidade, mas na adolescência abandonou suas raízes e mergulhou na cena punk de Columbus, Ohio, onde absorveu as influências musicais e atitudes de todos, de Charles Bukowski até Hank III. Hoje vejo ela como uma Hank III de saias.


Nikki Lane


A Nikki é uma das joias da New West Records, muitas vezes comparada com a Wanda Jackson, a Rainha do Rockabilly. Pode ser loucura minha, mas sempre vi nela uma veia Outlaw, foi o que sempre me chamou a atenção nela. Apesar de ter gostado bastante do último álbum dela, ainda prefiro seu primeiro trabalho, "Walk of Shame".



Sara Watkins


Se alguma vez na vida você já escutou Nickel Creek, você conhece a Sara, ela cantava e tocava violino na banda. Em 2007, ela decidiu seguir carreira solo e já lançou dois bons álbuns de estúdio. Das dez que apresento nessa lista, ela é a única, na minha opinião, que não mostrou todo seu potencial em estúdio, mas acredito que isso é questão de tempo, talento ela tem.


Sarah Jarosz


Nenhum review resumiu a Sarah melhor do que o escrito pelo Austin Chronicle, que chamou ela de "uma compositora de sabedoria incomum". Ela tem apenas 23 anos, tem muito a evoluir e isso que é espetacular, fico imaginando como ela estará daqui uma década. Ela é um prodígio. Indico o último álbum dela, "Build Me Up from Bones".


Tecnologia do Blogger.