Rebelde, "novo" livro do Bernard Cornwell ambientado durante a Guerra de Secessão


Faz tanto tempo que os fãs brasileiros esperam por esse livro que alguns até se esqueceram que ele existia, eu sou um deles. E como disse o Daily Telegraph, "guerras são o forte de Bernard Cornwell. Você vai sentir o cheiro de pólvora saindo destas páginas." Ainda não li para saber se é um bom livro, mas sendo uma obra do Cornwell, não acredito que seja ruim.

Leiam a sinopse:

Durante o verão de 1861, os exércitos do norte e do sul dos Estados Unidos se preparam para travar o que entraria para a história como a Guerra de Secessão. Rebelde é a fantástica história de como o jovem nortista Nathaniel Starbuck se rebela e luta a favor dos sulistas. Abandonado pela mulher que julgava amá-lo e afastado da família, Nathaniel chega a Richmond, na Virgínia, capital da Confederação sulista. Lá, depara-se com uma turba acossando nortistas e tenta não se envolver. Porém, quando percebe que seu sobrenome é capaz de gerar uma fúria ainda maior pois é filho do reverendo Elial Starbuck, grande defensor de ideias antiescravagistas , é resgatado por Washington Faulconer, um milionário excêntrico que deseja reunir uma companhia de elite para lutar contra os ianques. Como forma de gratidão, Nathaniel se alista na Legião Faulconer, mesmo sabendo que isso significa ter de lutar contra o próprio povo. Outros cidadãos enfrentam dilemas semelhantes, no entanto, em pouco tempo, todos se renderão ao caos e à violência que dividiu a América em duas.

Só não gostei muito da capa do livro. Na maioria das capas que encontrei a bandeira confederada aparece, mas aqui no Brasil ela foi retirada.








Tecnologia do Blogger.