Ray Boneville - Easy Gone (Review)


Se existe um cara que a crítica especializada não curte muito criticar negativamente, esse cara é o Ray Boneville, até o momento não li um review negativo de nenhum de seus álbuns de estúdio. Você provavelmente não conhece ele, eu não conhecia até o ano passado, quando tive o prazer de escutar o ótimo "Bad Man's Blood", lançado em 2011.

Sem dúvidas a guitarra discreta e seu vocal cansado (bem ao estilo Randall Bramblett), são suas marcas registradas. É difícil imaginar um álbum de Blues que tenha uma guitarra discreta, mas as pessoas se esquecem que existem outros instrumentos bem tradicionais no estilo, uma delas é a gaita, que também é bem discreta nesse álbum. A voz do Ray é a única coisa que não é discreta nesse álbum, tudo gira em torno dela.

Esse é mais um daqueles álbuns que deve ser escutado na íntegra, ele não tem hits, não tem grandes destaques individuais, o que não é novidade no Blues, um estilo que se caracteriza pelos seus grandes álbuns, não por uma faixa de destaque dentro de um álbum ruim. Mesmo assim, prestem atenção no cover do clássico "So Lonesome I Could Cry" do Hank Williams. Nunca tinha escutado uma versão Blues dessa faixa e gostei demais, tenho certeza que os fãs do Hank Sr. irão apreciar.

Mais um grande álbum desse músico/compositor minimalista e que merece mais exposição.

Tecnologia do Blogger.