The Allman Brothers Band - Hittin' the Note (Review)


Desde o dia em que li a notícia sobre a saída do Derek Trucks e Warren Haynes do Allman Brothers fiquei pensando no que escrever para homenagear o período em que esses gênios estiveram na banda. Não precisei pensar muito, escrever um review do "Hittin' the Note" seria a melhor da homenagens, pois é nesse álbum que a genialidade dos dois pode ser escutada.

Nos anos 90 o Allman Brothers voltou com toda a força, lançou "Seven Turns" em 1990, "Shades of Two Worlds" em 1991 e "Where It All Begins" em 1994, fez várias turnês e a banda parecia ter voltado aos bons tempos. Os problemas surgiram novamente, o Dickey Betts saiu e tudo voltou a ser obscuro no horizonte da banda. Foi nesse momento que um garoto chamado Derek Trucks entrou e deu um novo folego ao trabalho da banda.

O time estava formado, Gregg Allman (vocais e piano), Butch Trucks (bateria), Jaimoe (bateria), Warren Haynes (guitarra), Derek Trucks (guitarra), Marc Quiñones (percussão) e Oteil Burbridge (baixo). O resultado foi "Hittin' the Note", o álbum mais aclamado da banda desde "Brothers and Sisters".

Do primeiro acorde de "Firing Line" até o último em "Old Friend" temos um álbum impecável, sem erros. Um inimaginável alto nível nas composições e inspiração no talo. "Firing Line" abre o álbum em grande estilo, mostrando o potencial dos dois guitarristas e um Gregg Allman com uma voz impecável. "High Cost of Low Living" nos remete aos clássicos da banda, dando amplo destaque a performance do Gregg em seu tradicional Hammond B3.

Quase enlouqueci quando escutei "Desdemona" pela primeira vez, é impossível ser fã da banda e não se arrepiar todas as vezes que essa música toca. A voz do Gregg soa de forma perfeita e nem preciso elogiar a atuação do Warren, Derek e Oteil, basta escutar e soltar os elogios.

O Warren assume os vocais em "Woman Across the River", clássico do grande Freddie King, de forma impecável. "Old Before My Time" sempre me soou sombria, a voz do Gregg e o som que sai das guitarras mostram isso o tempo todo, mesmo assim essa é uma das melhores faixas do álbum. Vale ressaltar que essa é uma faixa autobiográfica escrita pelo Gregg, não sei se ele admite isso, mas é.

A instrumental do álbum é "Instrumental Illness", faixa em conhecemos o verdadeiro alcance das guitarras do Warren e Derek, além da performance matadora dos bateristas da banda. Comecei a gostar de faixas instrumentais escutando Allman Brothers e "Instrumental Illness" faz jus a tradição da banda em criar ótimas jams, repletas de improvisos e sentimentos.

E para fechar temos "Old Friend", uma homenagem ao Allen Woody, é puro slide, uma performance que faz qualquer fã ficar emocionado, mostrando que a química desses dois guitarristas era mais que perfeita e, acima de tudo, que a velha química da banda estava de volta, tinha alcançado aquele patamar de décadas atrás.

Eles só lançaram um álbum de estúdio juntos, mas suas performances ao vivo eram impecáveis e, mesmo para mim que só vi isso por vídeos, a sintonia entre os dois só evoluiu, chegando ao ponto em que comparar eles a Duane e Dickey já não é mais um absurdo inaceitável.

Eles irão deixar saudades, mas o lado bom é que teremos Tedeschi Trucks Band e Gov't Mule para saciar nossas necessidades musicais e matar as saudades desses gênios da guitarra.
Tecnologia do Blogger.