Charlie Robinson - High Life (Review)


O Charlie Robinson é mais uma bela surpresa que tive em 2013. Quando vi a capa desse álbum, jurei que era algo psicodélico (muitas cores em uma capa sempre me fazem ter essa impressão), baixei por pura curiosidade e me dei bem demais. Dias depois de ter escutado o álbum diversas vezes, procurei saber mais sobre a história do cantor. Descobri que ele é irmão do Bruce Robison, que ao lado de sua esposa, Kelly Willis, lançou o "Cheater's Game" no início desse ano.

Ao contrário de vários artistas que conheci esse ano, o Charlie Robinson não é um novato na Country Music, ele já lançou oito álbuns de estúdio e está na estrada a quase vinte anos. O fator experiência ajudou demais nesse álbum, que é um puro Texas Country e é fácil de se escutar, não tem momentos ruins. 

O Texas Country tem ganhado muito espaço nos últimos anos, tem criado uma cena própria, separada da de Nashville. O estilo é conhecido por fazer com perfeição a fusão do Country tradicional com o Outlaw Country, muito influenciado pelo Willie Nelson e Waylon Jennings. É um dos sub-gêneros da Country Music mais interessantes e que tem revelado um número enorme de bons músicos.

Na maioria das vezes o Charlie escreve suas próprias canções, mas nesse álbum não. Boa parte das faixas foram escritas pelos seus irmãos, Bruce Robinson e Robyn Ludwick, as outras são do Robbie Robertson, Bob Dylan , Doug Sahm , Ry Cooder , Bare Jr. & Kinky Friedman. Algumas faixas são velhas conhecidas, mas ele deu uma roupagem nova para cada uma.

Como eu disse, não existem momentos ruins nesse álbum. Destaque para "Brand New Me" (Bruce Robinson), "Out of These Blues" e "Monte Carlo" (Robyn Ludwick), "Nuevo Laredo" (Doug Sahm) e "The Girls from Texas" (Ry Cooder).

Tecnologia do Blogger.