Caitlin Rose - The Stand-In (Review)


É sério! Esse ano de 2013 está maravilhoso! São muitos novos artistas estreando e conheci outros com uma carreira "longa", mas com muita coisa para mostrar em futuros trabalhos. Hoje venho falar de mais uma mulher, mais uma que se arriscou na Country Music, mais uma com uma voz encantadora. O nome da vez é Caitlin Rose. 

A Caitlin Rose é nativa Dallas, Texas, tem 26 anos e "The Stand-In" é seu segundo álbum de estúdio, o primeiro pela ATO Records.

De todos os artistas que conheci e me encantei em 2013, a Caitlin Rose é a menos Country, o que não é ruim. Tem Country espalhado por todo o álbum, mas não é na mesma dose que nos álbuns do Daniel Romano ou Sturgill Simpson, só para citar alguns exemplos, encontramos outras influências. Ela traz para sua música algo que faz lembrar a eterna Patsy Cline e a Loretta Lynn.

Um álbum bom, pelo menos para mim, não deve começar do mesmo jeito que começou, não deve ser igual o tempo todo. A Caitlin ganhou pontos nisso também. Tem os momentos mais Country e aqueles mais Pop (ótimos momentos), fora que ela tem uma capacidade magnífica de mudar o tom, o clima da sua voz em cada canção.

Tenho escutado esse álbum todos os dias nas últimas semanas, não consigo escutar só uma vez, é algo viciante.

No review do Allmusic, Steve Loggett disse que "em um mundo perfeito, Caitlin Rose seria uma grande estrela, e de fato, ela pode muito bem chegar lá, uma vez que ela tem um doce, pura, tímida, audaciosa, segura e bela voz, e escreve canções maravilhosamente balanceadas entre o pop-country que sugerem Patsy Cline, Linda Ronstadt, e no final o pop comercial do Fleetwood Mac, tudo junto."

Mais uma vez tive o prazer de escutar uma possível estrela em ascensão, não sei se um dia ela terá seu talento reconhecido por um público maior, mas sempre que escuto algo tão bom assim nesses dias difíceis para a música, renovo minhas esperanças de um dia ligar o rádio e escutar algo parecido.

Tecnologia do Blogger.