Lindi Ortega - Tin Star (Review)


Existe uma discussão muito intensa sobre a predominância dos homens na Country Music e a influência negativa que isso está tendo no desenvolvimento (ou não) do gênero. O fato é que as vozes femininas são raras nas rádios americanas, Taylor Swift, Carrie Underwood, Little Big Town, etc., não contam, essas estão mais para o Pop que para o Country. 

O ano de 2013 trouxe algumas esperanças para os fãs da Country Music mais tradicional: Kacey Musgraves, Caitlin Rose, Ashley Monroe e Lindi Ortega. Elas não estão vendendo milhões, não tocam centenas de vezes nas rádios, não tem seus vídeos no Youtube assistidos por milhões, mas são vistas como a luz no fim do túnel, um túnel cada dia mais escuro e que ecoa letras sobre caminhões e bebidas. Elas são jovens, lindas, tem belas vozes e ótimas composições, algo escasso na indústria da música.

Conheço o trabalho da Lindi Ortega desde o ano passado, quando ela lançou "Cigarettes & Truckstops". Conheço os dois álbuns anteriores dela, gosto muito deles, mas "Tin Star" superou todas as minhas expectativas, ela se superou nesse álbum. Estou encantando pela voz e pelo tom sombrio que essa canadense coloca em cada música.

"Bem, eu escrevi esta canção / Para aqueles que são como / Como as estrelas brilhando, as estrelas brilhando / Bem, nós não temos fama / Sem nome, sem mentiras / No outdoor sucessos / Noites esgotadas / Temos orvalhos para pagar / Tentando fazer um caminho / Alguns de nós esperam a sorte / Enquanto alguns só rezam"

Um dia desses estava conversando com o Guilherme Espir do Macrocefalia Musical e disse que música para mim é sentimento, não escuto música só para me entreter, passar meu tempo, ela tem que me tocar, só assim sei que gosto dela de verdade. A Lindi Ortega conseguiu me tocar e por isso não consigo parar de tecer elogios a ela.

Ela consegue passar diversas coisas com sua música. Ela é rebelde, sombria, triste, doce, apaixonante e calma. "Tin Star" é aquele tipo de álbum que você se identifica, pega algo de suas letras e traz para o seu dia a dia.

Uma coisa é certa, não vale a pena escutar uma ou duas canções desse álbum, esse é um trabalho coeso e fascinante, ele deve ser escutado do início ao fim. A Country Music precisa de mais mulheres assim.

Para encerrar, vou citar o Trigger do Saving Country Music: "Lindi Ortega pode ver sua estrela tão velha, bater e enferrujar. Mas pelo eu menos estou cego pelo seu esplendor".

Tecnologia do Blogger.