Vince Gill & Paul Franklin - Bakersfield (Review)


A maioria dos jovens fãs de Country da minha geração não tem noção do que é o Bakersfield Sound, não só aqui no Brasil, mas também nos EUA. Resumidamente, o Bakersfield Sound era a oposição ao Country produzido em Nashville nos anos 50, tendo como grandes nomes Buck Owens and the Buckaroos e Merle Haggard and the Strangers.

Esse novo álbum do Vince Gill com com Paul Franklin, integrante da The Time Jumpers e que já gravou com diversos músicos, é um tributo ao som que nasceu em Bakersfield, Califórnia, e se espalhou pelo mundo. Eu fiquei bem surpreso quando li uma notícia sobre esse álbum, não pelo estilo escolhido, mas sim por estar sendo lançado por uma grande gravadora, a Universal Nashville. O Bakersfield Sound é considerado fora de mora e pouco popular, por isso meu espanto, mas isso não importa muito.

O álbum tem 10 canções, uma mescla entre clássicos do Buck Owens e Merle Haggard, todas com belas performances do Vince Gill, sem dúvidas um dos melhores interpretes da Country Music de todos os tempos, e com o Paul Franklin prestando um belo tributo a todos os guitarristas e violinistas daquela época.

Esse lançamento pode parecer ser irrelevante, mas não é. Ele nos mostra como certas coisas não podem ser datadas e isso acontece o Bakersfield Sound. Eu acho isso tudo muito engraçado. Sou brasileiro, 24 anos de idade e estou a dias escutando versões de canções gravadas nos anos 50 nos EUA. Essas músicas me encantam e fazem parte da minha vida, isso é atemporalidade.

Destaque para "But I Do", "Holding Things Together", "Nobody's Fool But Yours", "The Bottle Let Me Down", "Branded Man" e "Foolin' Around".

"Together Again", é um caso a parte, todas as vezes que escuto ela, eu babo, não foi diferente nessa versão, o Paul Franklin não decepcionou.
Tecnologia do Blogger.