Grateful Dead - American Beauty (Review)


Escrito por Guilherme Espir do blog Macrocefalia Musical

Grateful Dead é uma banda de Rock americana formado em 1965 na Califórnia, o berço do movimento ''Flower Power'', tendo o próprio Grateful Dead como seu maior expoente. A banda ganhou fama pela mistura de gêneros diferentes como o Folk, Country (uma influência mais forte), algumas doses de Rock Psicodélico, reggae e tudo isso regado a muita improvisação, sendo caracterizada com uma ''Jam Band'', uma das primeiras bandas a serem definidas desta maneira.

O grupo conta com uma coleção de discos enorme, em sua maioria composta por discos ao vivo que dão a verdadeira dimensão do que foi o Dead, uma excelente banda com uma ótima discografia de estúdio, mas ao vivo... É de arrepiar, é outro papo, a qualidade dos músicos, a mistura de estilos, a levada mais lenta característica marcante da banda, os solos do mestre Jerry Garcia e que solos! Tudo, a banda levou a música pra outro nível, algo surreal, surpreendente, que minhas palavras se fazem escassas para definir o que de fato é a cozinha desses californianos.

O Dead não é uma banda que possa ser classificada dentro um de estilo ou diretriz, a música deles não é algo ''explicável'', é uma sonoridade muito própria, não existe nada parecido, é algo único no sentido literal da palavra, e para ilustrar isso hoje nós vamos falar sobre o sexto disco de estúdio da banda, o excelente  ''American Beauty''.

Escolhi este disco em especial, não apenas por ser o meu favorito, mas sim porque para quem não é familiarizado com o grupo é o disco perfeito para começar a conhecê-lo melhor. O disco começa com a ótima ''Box Of Rain'', com uma melodia maravilhosa, levada marcante, e o vocal mais aveludado da década de 70. ''Friend Of The Devil'' um dos hits desse disco, é aquela música pra cantar junto no show, nessa faixa é bem perceptível as influências do country, destaque para o violão que é simplesmente hipnotizante. Na sequência aparece mais um sucesso da banda, ''Sugar Magnólia'', uma das minhas músicas preferidas, que mais uma vez conta com excelentes vocais, e uma levada deliciosa, cortesia do mestre Jerry Garcia. Logo depois aparece ''Operator'', mais uma bela canção, outra vez mais voltada para o country, destaque para a adorável gaita que aparece já no final da canção.

Seguindo surge ''Candyman'' com um vocal melancólico, ao melhor estilo de Jerry, hipnotizante, mas que logo em seguida é confortado por um belo backing vocal, um pouco depois Jerry segue sozinho, fazendo seu violão de gato e sapato, show de bola, mais um clássico. ''Ripple'', um dos riffs mais conhecidos no mundo da música. Essa aí quando começa a tocar todo mundo para, não importa o que estiver fazendo, agradeçam ao grande Robert Hunter por escrever mais um clássico. ''Brokedown Palace'', essa música é tocada com um cuidado, uma das melhores de todo o disco com certeza.

A oitava faixa do álbum surge mais rápida, mais contagiante, com vocais mais animados, com a banda mais uma vez esbanjando técnica na parte instrumental. Logo em seguida ''Attics Of My Life'', surge calma, tenra, atenciosamente acompanhada pelo violão, que valoriza ainda mais a beleza dos vocais, simplesmente fantástico. E para finalizar esse "masterpiece", temos um dos maiores hits da história do Grateful Dead, ''Truckin''', country na veia! Mais uma bela melodia, a música mais completa do álbum, sendo reconhecida em 1997 como um tesouro nacional do EUA.

Escrito por Guilherme Espir do blog Macrocefalia Musical
Tecnologia do Blogger.