Mentol - Mentol EP (Review)


Faz algum tempo que perdi a vontade de sair à noite para assistir shows de bandas cover e, com o passar do tempo, me tornei um critico ferrenho dessa moda que é criar bandas cover só para fazer uns shows, ganhar uma grana e pagar de músico. Mas nem tudo é ruim, existem bandas que usam o status de cover para ganhar um público, aperfeiçoar-se como banda e, depois de algum tempo, lançar material autoral. Esse é o caso da banda mineira Mentol.

Na ativa desce 2007, o trio formado por Flávio Freitas (bateria), Ricardo Machado (baixo e vocal) e Thiago Leão (guitarra) se consagrou em Belo Horizonte como uma banda cover de Cream, Eric Clapton, Rolling Stones, Stevie Ray Vaughan, Creedence, etc., construíram um público fiel, ganharam reconhecimento e decidiram dar um passo que para muito é impossível: criar algo próprio.

Esse primeiro EP contém seis faixas e, além das canções, a produção do trabalho impressiona. As faixas foram masterizadas nos EUA pelo Brian "Big Bass" Gardner (Creedence, Queens of Stone Age, Jefferson Airplane, Rush) e, em parceria com a produtora Queijo Elétrico, lançou uma session e um clipe, ambos de ótima qualidade.

A faixa "Malandro" abre o EP de forma marcante, falando de nossos políticos e da corrupção no país, uma letra que qualquer brasileiro concorda, exceto os políticos. Alguns de nossos representantes no início, mas "É o poder que sobe para a cabeça / E o dinheirinho dentro da carteira, só para completar". Na sequência temos "Blues da Hipocrisia", o carro chefe do EP e que ganhou um clipe, gravado ao vivo no Stonehenge Rock Bar. O instrumental da faixa é destaque absoluto, mostrando que esse trio compõe bem as suas faixas e toca muito bem seus instrumentos.

"Sozinho em Meu Lugar" tem uma letra bem no estilo Blues. "Bunitinha" é a minha favorita. Prestem atenção em um trecho da faixa: "Você não sabe o que é querer demais / Uma garota que maltrata e só quer ver meus “ais” / Mas o que eu quero é te mostrar que o que eu digo é para valer / O seu lugar está bem guardado e é só você querer".

"Festa na Fazenda" é, sem dúvidas, a faixa mais engraçada. Quando escutei ela pela primeira vez achei que fosse uma brincadeira, não é qualquer dia que você escuta uma música que ao invés de começar com uma guitarra inicia-se com o mugido de uma vaca! Hoje só de ler esse trecho "E ai vem o cachorrão / Com essa cara de vilão / Causando toda a confusão / Com o seu jeito fanfarrão", já cantarolo no ritmo da música. O álbum é encerrado com "Me Engano", mais uma bem Blues, tanto na letra como no ritmo.

No Brasil existem milhares de bandas cover e nelas existem diversos talentos, que são constantemente desperdiçados  imitando/homenageando seus ídolos, quando eles poderiam estar criando coisas novas e conquistando seu espaço por causa do seu trabalho. Espero que outras bandas sigam os passos da Mentol, que tenham a coragem de investir na sua carreira autoral.

Acessem o site da banda, mentoltrio.com.br, baixem o EP gratuitamente e acompanhem a banda pelo Facebook.

Tecnologia do Blogger.