O que tem de novo no Blues Brasileiro?


O Blues mudou a minha forma de interpretar a música, abriu novas portas na minha mente, que até 2010, era bem limitada ao Heavy Metal. Allman Brothers e Rolling Stones, foram as bandas que me empurraram para esse lado e não sai dele desde então.

Escutar os clássicos é algo fundamental, obrigatório, mas sempre gostei de saber o que está sendo feito em meu país nessa linha e, de início, me decepcionei, pois tudo que encontrava era em português, um trauma que a maioria dos fãs de Heavy Metal tem, é mais fácil escutar uma música em finlandês que em português, sempre foi assim comigo.

Um dia escutei uma música chamada "Outras Palavras" da banda O Bando do Velho Jack e nesse momento  em diante, passei a prestar mais atenção em músicas cantadas em português. Foi nesse momento também que comecei a conhecer algumas dessas bandas que indico hoje, bandas novas, que tocam Blues, cantam em português/inglês e estão crescendo em suas cidades natais.

Eu não vou falar sobre as bandas clássicas do Blues nacional (Leiam a postagem 10 álbuns fundamentais para iniciante no Blues III - Blues Brasil), o objetivo hoje é apresentar para vocês algumas bandas novas que eu conheço. Se vocês conhecerem alguma que merece estar nessa lista, deixe o nome dela nos comentários.

As bandas que estão tocando na playlist são: Mentol (Belo Horizonte/MG), Cracker Blues (São Paulo/SP), Rural Willys (Monsenho Paulo/MG), Clinica Tobias Blues (Teresina), Mendigos Blues (Itabuna/BA), Facção Caipira (Niterói/MG), Red Foot (Curitiba/PR), Distintivo Blue (Vitória da Conquista/BA) e Cris Carcará (Juiz de Fora/MG), High Jive (São Bernardo do Campo/SP), Tres Hombres (Baixada Santista/SP), Swing Snake Blues (Araçatuba/SP), Bruno Félix & the Voodoo Kings (São Sebastião do Paraíso/MG), Rodrigo Morcego (Recife/PE), Ari Frello (Rio de Janeiro/RJ), Anderson Camelo Trio (Fortaleza/CE) e Maverick Blues (Machado/MG).

Tecnologia do Blogger.