Dimebag Darrel - 8 anos sem um ídolo sulista


Em meados dos anos 90, DimeBag Darrel Abbott, foi mencionado em quase todas as listas dos melhores guitarristas de Heavy Metal. Como o guitarrista solo do Pantera, e depois Damageplan, Abbott foi conhecido por seus riffs criativos e solos batidos, sujos, que deixaram os fãs implorando por mais. Quando olhamos para os grupos que foram influenciados por ele, é óbvio que a criatividade e inovação de Dimebag ainda estão em evidência hoje. Como ele criou esse estilo único de tocar, que o fez ídolo de tanta gente? Quem foram seus mentores e heróis? Aqui lhes apresento as respostas.

O pai de Darrel, Jerry Abbott, era guitarrista, e também produtor musical. Quando era jovem, Darrel foi exposto a muitos músicos, que trabalharam no estúdio de seu pai, onde assistia a várias gravações. Mesmo que Jerry estivesse envolvido, na maioria das gravações, com blues e country, ele nunca se opôs ao fato de Dimebag se interessar por Hard Rock. Ele ensinou Dimebag a tocar guitarra, logo que ele fosse grande o bastante para conseguir segurar uma, e o encorajou a entrar em muitas competições musicais no estado do Texas. O talento excepcional de Darrel, foi descoberto após ele vencer em quase todas as competições.

Seu pai lhe deu sua guitarra favorita, uma standart Dean, com acabamento cherryburst, logo depois que ele entrou na primeira competição local. Depois de um dia praticando, Darrel ganhou outra guitarra Dean, dessa vez uma ML. Era uma mistura entre a Explorer e a Flying V, e virou a guitarra que ele mais usou em sua carreira. Outro prêmio de concurso que Darrel ganhou, foi um amplificador Randall. Quando esses dois equipamentos foram ligados, ele foi capaz de produzir um som que foi reconhecido como sua assinatura. Ele foi o mais famoso garoto propaganda para a companhia Dean por muitos anos.

O irmão mais velho de Darrel, Vinnie Paul Abbott também foi uma das suas grandes influências musicais. Porque Vinnie gravitava entre bateria e guitarra. Os dois irmãos foram capazes de colaborar com grandes músicos, mesmo sendo tão jovens.

Quando jovem, Darrel foi um grande fã de KISS, e seu guitarrista Ace Frehley, e até entrou no fã clube chamado KISS Army. Sua namorada de muito tempo Rita Haney, foi membro do clube juntamente com ele, e o par viu junto, seu primeiro show da banda. Ele também idolatrava Eddie Van Halen, e quando começou a tocar, "tirava" as músicas de seus dois heróis, sempre que podia.

Em 1981, Darrel adotou seu apelido de Dimebag, e criou o grupo chamado Pantera, junto com seu irmão Vinnie. Rex Brown era o baixista e Terry Glaze teve o trabalho duplo de ser guitarra base e vocal da banda. Vinnie e Dimebag pediram ajuda ao pai, para conseguirem ter seu próprio selo de gravação, chamado Metal Magic. Eles tiveram certo sucesso, e lançaram 3 álbuns nos anos 80. Grupos como Def Leppard e Judas Priest foram grandes influências.

Em 1988, a banda chegou a um momento de decisão, quando Phil Anselmo entrou no lugar de Glazer. O álbum que eles lançaram esse ano foi chamado "Power Metal", e foi muito mais agressivo do que os anteriores. Em 1990, o Pantera assinou com uma grande gravadora, subsidiária da Atlantic Records chamada East West, que produziu seu maior estouro, o álbum "Cowboys From Hell".

Pantera continuou bem durante os anos 90. "Vulgar Display of Power" em 1992, e "Far Beyond Driven", dois anos depois, sacramentaram o Pantera como os melhores shows desses anos. O grupo foi nomeado quatro vezes para o Grammy, na categoria Heavy Metal em 1995, 97, 98 e 2001.

Em 1996, Dimebag e Vinnie construíram seu próprio estúdio no Texas. Ele foi estreado com a gravação do álbum "The Great Southern Trendkill", que evidenciou a grande criatividade de Darrel, embora não tenha feito muito sucesso. As vendas estavam caindo, mas o grupo continuou muito popular. Vinnie e Dimebag continuaram a ganhar reputação, sendo leais a seus fãs. Durante os anos 90, o Pantera viajou quase que sem parar e tentou continuar acessível aos admiradores. Há várias histórias de como eles convidavam jovens fãs para assistirem aos shows de graça. Quando intimados a explicar o porque de tanta afeição que os dois tinham pelos fãs, essa foi a resposta: "Nós nunca tentamos ser o que não somos. Nossos fãs vêem eles mesmos no palco quando tocamos. Isso é uma coisa que não dá pra fingir."

Em 2001, Phil Anselmo pediu um tempo para a banda, por causa de sua dor nas costas. Quando aconteceu, ele nunca mais retornou a banda, e os irmãos Abbot ficaram extremamente desapontados com tal evento. Rumores que Anselmo era viciado em heroína se espalharam no meio rock, e houve relatos que ele foi "verbalmente abusivo" em muitas ocasiões. Na verdade, dizem que até hoje Vinnie não fala com Anselmo. O Pantera terminou oficialmente em 2003.

Dimebag nunca parou de tocar guitarra durante o tempo que o Pantera estava inativo. Ele participou de vários projetos interessantes, como o Rebel Meets Rebel. Os irmãos Abbott usaram seu baixista Rex Brown, juntamente com o cantor country David Allen Coe, para produzir seu álbum. A mixagem foi feita no estúdio de Vinnie, chamado Big Vin Records.


Darrel participou de alguns projetos, com alguns de seus ídolos de infância. Em 1997, ele e Vinnie tocaram em uma faixa em um álbum tributo a Ace Frehley, entitulado "Return of the Comet". Dimebag foi solista convidado em muitas músicas do grupo Anthrax, incluindo "Riding Shotgun" e "We've Come For You". Inclusive Dimebag foi considerado pelo Anthrax, como o sexto membro da banda. Darrel também fez composições para o cinema, como em Buffy the Vampire Slayer e o filme de Jackie Chan Supercop.

Em 2003, quando era óbvio que Phil Anselmo não retornaria, DD e seu irmão decidiram formar um novo grupo, batizado como Damageplan. Ambos viram a chance de continuar com o pouco que restava do antigo Pantera. O primeiro álbum foi lançado em 2004, e foi chamado de "New Fund Power". A industria musical recebeu bem esse álbum, e os irmãos Abbott conseguiram uma grande lista de shows pela frente.

Infelizmente uma tragédia se abateu no começo dessa nova carreira. Durante a primeira música, em um show em 8 de Dezembro em Columbus, Ohio, um "fã" subiu no palco e atirou para todos os lados matando 4 pessoas, incluindo Dimebag. Ele foi declarado morto quando os paramédicos chegaram no local, assim como as outras 4 vítimas. A polícia atirou e matou o assassino, porque estavam com medo que ele atirasse em uma pessoa que ele estava mantendo refém.

Os fãs de rock ainda lamentam a perda de DD, parte porque ele foi um talentoso e criativo músico, parte porque foi um ser humano extraordinário. Dimebag foi um cara simples, que sempre teve tempo para os seus fãs. Nunca foi um "estrelinha", seu camarim era sempre aberto a quem quisesse tirar fotos ou conhecê-lo pessoalmente. Um gênio da música, um bom homem.




Tecnologia do Blogger.