Uma breve historia do Blues


A historia do Blues é um tanto complexa, são muitos anos que passam, nomes que surgem, fatos que ocorrem assim como mudanças no próprio gênero, no entanto, a origem do Blues é mais que conhecida. O Blues seria um gênero musical "inventado" ao sul dos Estados Unidos, nos campos das terras de Dixieland, nas grandes lavouras de algodão em que os negros escravos trabalhavam para seus senhores, os grandes fazendeiros sulistas.

Assim como a humanidade, o nosso Rock’n Roll contemporâneo também tem suas origens na África.

O Blues teria nascido primeiro como um "Work song" que são musicas cantadas em coro para manter uma regularidade no tempo de trabalho, uma musica típica de escravo, não é por nada que o Blues tem varias expressões únicas Hoohoo, Juju, Mojo e outras expressões oriundas de misturas de palavras africanas com americanas, alem de adaptações de gírias sulistas.


Em um curto tempo o Blues se tornou uma musica para as horas de folga também, isso porque – parafraseando o grande mestre Buddy Guy – "O Blues não se trata de tristeza, o Blues se trata da verdade". Logo, é muito comum se ouvir canções divertidas sobre festas e bebedeiras.

A grande expansão do Blues se deu no inicio dos anos 30. Com a grande crise de 29 muitas pessoas ficaram desempregadas, mesmo quem não tinha nada com o mercado de ações, foi um caos. Assim muita gente que tinha jeito com a musica se lançou na estrada, por isso, por vezes o Blues ficou marcado como musica de vagabundo, alem de ser musica de negro.

Aqui no Brasil, nos tivemos experiência com a escravidão em grandes lavouras, no entanto, a "desescravização" foi muito diferente nas Américas, por aqui, para um negro conseguir ser livre era imensamente fácil se comparado com as leis Norte Americanas, no Brasil, um negro poderia comprar sua própria alforria, tinha a sua brecha camponesa que lhe permitia plantar e criar animais de porte pequeno e vender sua pequena produção, nos EUA tal ação era raríssima.

A miscigenação entre os povos é completamente diferente, se por aqui algumas vezes o negro livre permanecia na fazenda trabalhando para seu ex-senhor como um trabalhador livre, em certos estados do sul dos EUA o negro ex-escravo era obrigado a deixar o estado como clausula de sua alforria.

Após a Guerra de Secessão e a proibição da escravização, este racismo ficou ainda mais forte e o regime da segregação começou a reinar no Sul, banheiros de brancos e banheiros de negros, bares de brancos e bares de negros, bairros de brancos e bairros de negros, musicas de brancos e musicas de negros, e por ai vai... Existia uma diferenciação no jornal onde se publicava as paradas de sucesso das rádios, musica e musica de cor.

Em "Cadillac Records", um filme de 2009 que conta a historia da Chess Records – a gravadora mais tradicional do Blues de Chicago – narrado pelo Willie Dixon que diz logo na abertura: "A primeira vez que uma mulher arrancou sua calcinha e jogou no palco, foi para um cantor de Blues, quando uma branca fez isso pela primeira vez, deram o nome de Rock’n Roll". De fato, Chuck Berry foi o grande responsável por isso. Era comum em suas apresentações os ouvintes se misturarem na pista dançando ao som do Rhythm and Blues de Berry, muito diferente do som acústico do Delta. O Blues elétrico de Chicago que atravessou o Oceano Atlantico chegando a Europa dando origem ao Blues Britânico, de onde saiu bandas como Rolling Stones, Led Zeppelin, The Beatles e outras bandas que revolucionariam o Rock'n Roll.

Quanto a afirmação de Dixon, não poderia estar mais correta, afinal, até hoje, o primeiro branco a tocar musica de negro pra brancos em grande escala é chamado de Rei.

Tecnologia do Blogger.