MPBlues - 10 blues de grandes nomes da MPB

O blues nunca esteve  relacionado à "linha evolutiva da música popular brasileira". Será?!

Procurando um pouco, podemos constatar que há algum blues no DNA da MPB, trazido à reboque pelo rock ou diluído em meio às sonoridades que moldam a nossa música.

Abaixo, dez blues, compostos por grandes nomes da nossa riquíssima música.

"Sou uma Criança não entendo nada" - Erasmo Carlos

Blues-rock, visceral, composto pelo "Tremendão". "Sou uma Criança não entendo nada" é uma canção empolgante, com uma letra simples e bluesística, mostrando que Erasmo é bem mais do que um cara da "Jovem Guarda"!


"Farrapo Humano" – Luiz Melodia

Talvez o artista da MPB que mais se aproxime de um bluesman! Luiz Melodia, já em seu primeiro álbum, "Pérola Negra", nos apresenta uma mistura magistral de ritmos que vai da trinca rock/jazz/blues, passando pelo forró, até o samba/chorinho. Tudo com tanta naturalidade que chegamos até a pensar que o Rio Mississippi nasce em algum lugar no Estácio... "Farrapo Humano" é um dos blues desse disco, com guitarradas rockeiras e linhas de metais, tudo regado pela bela voz do "Negro Gato". 

"Canceriano sem Lar" - Raul Seixas

Indiretamente, o blues sempre esteve presente na obra de Raul. Feita, quando o cantor estava internado da Clínica Tobias, em decorrência do seu problema com o álcool, "Canceriano sem Lar" é uma pedrada com direito a belos solos de guitarra e uma letra blues: "estou sentado em minha cama, tomando meu café pra fumar..." Vale a pena dizer que a música foi regravada pela turma do Blues Etílicos, grande expoente do blues brasileiro. 

"Bancarrota Blues" - Chico Buarque 
 
Definitivamente o blues nunca foi uma grande referência para a sonoridade da obra de Chico Buarque. Mas o compositor se rendeu ao estilo para compor "Bancarrota Blues". Com um toque jazzístico, a música é irônica ao usar um "ritmo importado" para retratar a falência do país (foi gravada na década de 1980, em fins do governo militar) e a possibilidade da venda de nossas reservas naturais! Genialidade, de um nos maiores compositores da MPB! 

"Negro Blues" – Zé Geraldo 
 
Zé Geraldo já disse que sua obra recebe a influência de dois ícones díspares: o trovador Bob Dylan e o violeiro Tião Carreiro. O que pode soar incompatível em um primeiro momento, se mostra naturalmente possível, quando nos deparamos com suas canções. "Negro Blues" é um desses exemplos! Passional, a canção é um blues pesado, marcado por uma letra que vai do lamento ao regional: "(...) meu negro blues é folclore de Minas Gerais (...)". E, afinal, as águas do Rio Doce não desaguam no Mississippi? 

"Andar, andar" - Alceu Valença 
 
As notas de uma harmônica soam inconfundíveis, dando uma dica do que ouviremos pela frente. Essa canção do pernambucano Alceu Valença, um blues com uma execução bem tradicional, relata uma de suas andanças pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro. Solos vibrantes, um órgão gospel, slide guitar, tudo está aqui. Mais blues que isso, impossível! 

"Eu Canto meu Blues" - Oswaldo Montenegro 
 
Oswaldo Montenegro flertou com o blues em algumas de suas canções. Esse belo blues, uma parceria de Oswaldo com Roberto Menescal, é acústico, calmo. Como o próprio autor afirma, "(...) quase um blues tranquilo (...)". Mas um blues nunca é tranquilo... 

"Blues" – Caetano Veloso 
 
Esse blues é um verdadeiro achado na obra de Caetano Veloso. Do disco "Outras Palavras", de 1981, "Blues" é uma música discreta, com pouco mais de um minuto. Acompanhada apenas por um violão bluesístico e com uma letra singela, é suave, mas traz sensibilidade blues.


"Meu Pobre Blues" - Sérgio Sampaio 
 
Talvez Sérgio Sampaio seja um dos nomes mais injustiçados da nossa música! O compositor ficou conhecido por apenas uma música: "Eu Quero é Botar meu Bloco na Rua", o que é um verdadeiro pecado, levando-se em consideração a complexidade e riqueza de sua obra. "Meu Pobre Blues" é pedrada, irônico, um recado para um conterrâneo seu de Cachoeira do Itapemirim... 

"Sofre" - Tim Maia 
 
Blues-sentimental de Tim, que bebe, e muito, na fonte da música negra norte-americana. "Sofre" é emocionante, canção em que esse grande gênio fala de uma desilusão amorosa, sem, contudo, ser piegas. Seu vozeirão reina absoluto em meio a solos de guitarra e riffs de metais, nesse blues vibrante.




Anderson Lobo (poetaandersonlobo.blogspot.com)
Tecnologia do Blogger.