Hank Williams III - Rebel Within (Review)




Tenho muito a dizer sobre este disco, e o resultado dele é perfeito. É uma melhoria do último álbum Damn Right. Pode não ser o seu melhor álbum, ou o álbum do ano, mas considerando todos os fatores diferentes Hank teve que fazer malabarismos cria-lo.

Hank está em uma batalha de 14 anos com a Curb Records, e ao fazer este álbum que ele tinha que se perguntar, "Eu faço-o com o melhor material disponível, e abro mão dos direitos das canções de primeira linha para o meu inimigo mortal para que eles possam continuar a encher seus cofres imundos, mesmo depois de eu sair? Bom, ele preferiu a independência.

Mas se ele põe para fora um fracasso, ele põe em risco a lealdade de sua base de fãs leais famosa. Hank tem de manter a sua atenção de fãs prosseguir sem o apoio do rótulo. E esse é outro problema: os fãs.

Todo mundo parece ter uma opinião sobre o que Hank III deve fazer com sua música. Ele cortou seus dentes como um neo-tradicionalista, mas seu álbum Straight to Hell, considerado sua obra-prima, criou um afluxo de fãs de punk e metal para a base de fãs de Hank III, e na música country em geral. Agora, os tradicionalistas e os metaleiros tem nove 'rounds' para ver em qual direção eles acham que a música Hank III deve andar, e Hank III deixou de ser o homem mais reverenciado no underground.

Faixas:

1- Gettin' Drunk and Fallin' Down: Música perfeita pra se começar um disco. Fala sobre ficar bêbado e cair em alguma valeta no sul do Tennessee. Tem tudo o que um country deveria ter.

2- Rebel Within: Música título do disco. Novamente fala sobre principalmente sobre álcool. Som agitado, muito bem feito, aliás, perfeito pra pegar uma estrada!

3- Lookin' For a Mountain: Lembra músicas do Willie Nelson, mas com um vocabulário um pouco mais pesado. Puro country.

4 - Gone But Not Forgotten: Country calmo, bem leve, que na minha opinião só serve pra uma boa noite de sono, ou algum canto escuro de bar.

5 - Drinkin' Ain't Hard to do: Diria que música perfeita pra um caminhoneiro (haha). Escutem, vão lembrar de caras de camisa xadrez e boné, com o braço esquerdo queimado. Novamente uma ótima música.

6 - Moonshiner's Life: Lembram daquele episódio que o Pernalonga canta quadrilha com 2 caras barbudos e uma porca? Se não é a mesma música, é praticamente igual. Squaredance!!

7 - #5: Pegue um bourbon e seque a garrafa, essa é minha impressão dessa música. Violinos intermináveis e 'slides' o tempo todo.

8 - Karmaggedon: Com certeza a música mais estranha do CD. Meio apocalíptica, mistura Dezperados com Bob Dylan.

9 - Lost In Oklahoma: Provavelmente a melhor música do disco na minha opinião. Perfeita mistura de country e blues.

10 - Tore Up and Loud: Saloon de old west, tiroteio, fuga, fumaça e cabaret. Só isso

11 - Drinkin' Over Mama: Fechando com chave de ouro, essa música não tem muito sentido, como o próprio nome diz. Uma boa quadrilha!
Tecnologia do Blogger.