10 álbuns fundamentais para iniciantes no Blues


Muitas pessoas acreditam que Blues é blues e só, deve ser simples e triste, mas não é exatamente assim. Blues não tem que ser lento e triste para ser blues. Existem dentro do Blues vários segmentos como o boogie woogie, o slow Blues, Shuffle blues, entre outros gêneros. Por isso, essa lista fica um pouco mesclada por entre esses "sub-generos".


Sonny Boy Williamson - "Sonny Boy Williamson and The Yardbirds"

Com o sucesso dos Rolling Stones - que se recusavam a ser chamados de rockeiros, afirmavam que tocavam rhythm blues, "rock era muito pop" – o blues se popularizou no Reino Unido, então bandas como The Yardbirds ganharam espaço, alem de grandes nomes do Blues terem ido fazer turnês pela Inglaterra como foi o caso de Holling Wolf, Muddy Waters e o lendário gaitista Sonny Boy Willianson.

Sonny Boy Willianson and The Yardbirds foi resultado de vários shows do veterano gaitista no velho continente com diversas bandas de apoio como o The Animals e, logicamente, o The Yardbirds, que ainda contava com Clapton.

The Rolling Stones - "The Rolling Stones N°2"

Os Rolling Stones podem ser hoje uma das maiores bandas de Rock da historia, mas no inicio, os garotos magrelos e cabeludos de Londres tocavam um blues consistente. Os Stones não tinham composições próprias muito fortes, suas musicas em geral eram regravações e versões de antigos clássicos do Blues e Folk, talvez por isso este disco esteja nessa relação. Mick Jagger, Keith Richards e Cia foram os responsáveis pela popularização do Blues no Reino Unido. Brian Jones era chamado por vezes como "O Elmore James Branco" pela sua habilidade no Slide. Nesse Disco se encontra versões de "You Can't Catch Me", do Chuck Berry e "I Can’t Be Satisfied", do Muddy Waters, que era influencia direta para a banda que teve seu nome inspirado em uma canção do Bluesman.

O fato é que os Rolling Stones foram responsáveis pela popularização do Blues no Reino Unido e da revitalização de Muddy Waters anos depois.

Elmore James - "The Sky is Crying - The History of Elmore James"

Essa é só uma coletânea lançada em 1993 com alguns dos maiores hits de um dos reis do slide, Elmore James. Ele era poderoso com a sua guitarra e conseguia transmitir o Blues com sua voz perfeita para o Delta Blues - embora fizesse claramente um Chicago Blues.

Você pode não conhecer Elmore James, mas sem duvida conhece seu trabalho, "The Sky is Crying", um dos seus maiores sucessos, já foi regravada milhares de vezes por músicos de renome como Eric Clapton e Stevie Ray Vaughan, este ultimo inclusive tem um álbum de mesmo titulo.

Destaque para a animada "Hawaiian Boogie", "Madison Blues", a profunda "I Need You", "It Hurts Me Too" e para a faixa-titulo "The Sky Is Crying", Alem da incrível versão de "Dust in My Broom" de Robert Johnson. Com 21 faixas, o álbum consegue fazer o seu ouvinte passear entre os vários "sub-generos" do blues, para um iniciante no gênero, esse álbum pode ser uma perola.

Keb’ Mo’ - "Keb’ Mo’"

Embora tenha álbuns de 90, 93 e 98 nesta lista, são coletâneas de antigos mestres do Blues, mas esse não é o caso de Keb’ Mo’.

Mo’ é um exímio guitarrista, não há dividas, inclusive, entrou para a lista dos 11 melhores do Blues segundo Gary Rossighton. Mo’ Talvez seja o Bluesman mais novo que vou citar aqui, isso porque tem hoje 61 anos. Este é o álbum de estreia, o que já marca Mo’ com um diferencial, pode-se notar a incrível forma como ele mescla o Blues clássico com um toque de pop.

Alem de musicas lindas como "Anybody See My Baby", e divertidas como "Am I Wrong" onde nota-se claramente o toque do qual estou me referindo, Keb’ Mo’ nos mostra ótimas versões de clássicos como "Come on in My Kitchen" e "Kindhearted Woman Blues" do Mestre Robert Johnson.

Jimi Hendrix - "Blues"

"Blues" é uma coletânea com musicas de Jimi Hendrix gravadas nos anos 60 e 70 e lançada em 1994, para quem esta descobrindo o Blues e quer ouvir algo mais frenético, é com o Hendrix. Alem de versões em blues de clássicos do próprio Hendrix, como "Red House", "Hear My Train A Comin’" e "Voodoo Chile", Blues trás versões eletrizante de clássicos do Muddy Waters como "Mannish Boy" e "Catfish Blues", e também "Bleeding Heart" de Elmore James.


Willie Dixon - "Poet of the Blues"

A importância deste homem para a historia do Blues é imensurável, grande parte do que foi os Rolling Stones, o Led Zeppelin, o Eric Clapton, dentre outras bandas que mudaram o rumo do Rock’ Roll foi fruto do trabalho de Willie Dixon.

Dixon foi contratado pela Chess para compor, e foi o que fez, compôs para Little Walter, Muddy Waters, Howlin’ Wolf, e para a maioria dos músicos da Chess. E, como o Blues britânico foi basicamente fundado no blues de Chicago, Willie Dixon esta em toda a parte. Já foi regravado por: Eric Clapton - tanto solo como com o Cream e com o Yardbirds - Led Zeppelin e Queen, alem de Bob Dylan, Allman Brothers Band e Jimi Hendrix.

O "Poet Of The Blues" é fundamental para qualquer amante de Blues e de Rock, porque ali esta a essência de tudo, "I Can’t Quit You Baby", "I’m A Hoochie Coochie Man", "Little Red Rooster", entre outros clássicos.

Muddy Waters - "At Newport"

Em 1960, Muddy era relativamente conhecido, mas não entre o publico branco. Foi no Newport Jazz Festival que o blues começou a se popularizar dentre este publico, e por isso esse disco do Waters é uma marca.

Aqui se encontram faixas clássicas como: "Hoochie Coochie Man", "Baby Pleas don’t Go", "I Got my Mojo Working" e "I Got my Brand on You". Com os mestres Otis Spann no piano e James Cotton na gaita, o rei do blues elétrico de Chicago mostrou a força do blues em um dos primeiros discos ao vivo do estilo. Por isso esse álbum merece uma atenção especial, alem de ser uma obra magnífica com vários mestres instrumentistas, tem sua relevância histórica.

B.B. King - "Live at the Regal"

Nessa altura, B.B. King já era um sucesso, e "Live at the Regal" é uma coroa para o rei do blues. Está tudo ali, o motivo do sucesso de King por entre os anos, tanto seu carisma com o publico, sua potente voz e sua habilidade com a guitarra, tudo ali. Quando King abre a segunda faixa, "Sweet Little Angel", o publico enlouquece. A banda de apoio, e os delicados solos com a Lucille em "Its My Own Fault", "How Blue Can You Get" e "Help The Poor", mostram bem o motivo deste álbum ser considerado por muitos como um dos melhores álbuns do King, embora o próprio discorde. Se você tiver que escolher um álbum do B.B. King para ouvir, que seja o "Live at the Regal".

Robert Johnson - "The Legendary Blues Singer"

Não se pode falar de blues sem pensar em Robert Johnson, e todo iniciante no Blues deve conhecer o que é o Delta blues, e nada melhor que Robert Johnson para isso. Essa é uma das varias coletâneas das canções de Johnson. Aqui você encontra: "Love in Vain", "Stop Breaking Down", "Sweet Home Chicago" e claro, "Crossroad blues". Alguns dos clássicos do Rei do Delta.



The Alligator Records - "The Alligator Records 25th Anniversary Collection"

Este álbum (duplo) é uma coletânea de aniversário de uma das gravadoras tradicionais do Blues, a Alligator Records. Por isso ela é essencial para qualquer iniciante, neste disco você encontra alguns clássicos, músicos renomados e muita variedade - como o blues tem uma variedade de "subgêneros" aqui você entra em contato com muitos estilos diferentes de blues, é quase impossível não se apaixonar por algumas destas faixas.

Se você gosta de um blues mais pegado, com mais feeling, você encontra "Something to Remember you By" do Albert Collins, "Sitting on the Top of the World" com Eddie Shaw & The Wolf Gang, "Tain't Nobody's Bizness If I Do", "A Quitter Never Wins", "Evil", "Blues Lover", "Cherry Red Wine", "Six O’clock Blues", "Someone Loan me a Dime"... Ou se prefere algo mais animado, tem "Diggin' My Potatoes", "The Complainer's Boogie Woogie", "Crawfish Fiesta", "Hard Lovin' Mama" entre outras, as alternativas são infinitas.

Este álbum não tem grandes relevâncias históricas como outros desta lista, mas para um iniciante que vai ter seu primeiro contato com o Blues, esse álbum pode ser essencial.
Tecnologia do Blogger.