[Entrevista] Butch Trucks fala sobre a história e o futuro da Allman Brothers Band


Nessa entrevista concedida ao site Access Atlanta, Butch Trucks, baterista original da Allman Brothers Band, falou um pouco da história e do futuro da banda. 

Confiram a entrevista:

Melissa Ruggieri: Você mencionou no seu blog que você estava muito orgulhoso do livro de Gregg ["My Cross to Bear"]. O que você achou dele ter chamado Derek de a reencarnação de Duane [Allman]?

Butch Trucks: A primeira vez que vi Derek tocar aos 12 anos de idade, sentei-me lá com a minha boca aberta e era como se eu estivesse assistindo o Duane. Mas Derek não gosta de ouvir isso. Não. Quando era criança, ele não se importava com pessoas comparando-o, mas dizer que ele é Duane? Você tem que lembrar, Duane tocou guitarra slide por menos de cinco anos. Derek tem tocado por 24 anos ... Derek entrou em lugares que Duane nunca se aventurou. Derek vai tocar um solo que soa como Ravi Shankar e Blind Willie McTell. Ele vem com um estilo e quando você ouve, não há dúvida sobre isso, é Derek Trucks.

Melissa Ruggieri: Vocês recebeu um Lifetime Achievement Award no Grammy deste ano. Alguém falou com Dickey [Betts, o guitarrista original da banda que deixou após uma briga em 2000]?

Butch Trucks: Ele não veio. Ele estava vindo todo o caminho até um dia antes e depois cancelou. Nós trabalhamos para ele voar na manhã seguinte para a cerimônia, mas eu acho que ele simplesmente não queria vir. Eu não sei se nós vamos nos ver outra vez. Todo mundo estava pensando que o Grammy seria uma grande chance de ver um ao outro sem ter que tocar. Mas é como Humpty Dumpty. Eu não consigo ver todos os cavalos do rei colocando ele junto outra vez. Foi sua escolha [sair da banda], não importa quantas vezes você leu que ele foi demitido por fax.

Melissa Ruggieri: Não é nenhum segredo que a saúde de Gregg tem sido frágil ultimamente. O que acontecerá com a banda se ele - ou qualquer um da banda - não puder excursionar. Você vai continuar?

Butch Trucks: Para ser honesto, nós meio que falamos sobre isso e os sete membros do Allman Brothers que temos agora é a banda que vai tocar como o Allman Brothers Band. Então, basicamente, se Warren ou Derek não puderem excursionar, ou praticamente qualquer pessoa que não possa excursionar, não faria uma turnê.

Melissa Ruggieri: Este é o ano do 40 º aniversário de "Eat a Peach". O que você lembra quando você pensar para trás, para a gravação desse álbum?

Butch Trucks: Esse registro, mesmo que ele tenha sido o mais vendido da banda, foi quando começamos a descer. Tivemos sorte que uma das canções passou a ser um hit e isso fez-nos uma banda de grande sucesso, mas apesar de tudo, [nosso próximo álbum] "Brothers and Sisters" não se compara ao "Eat a Peach". "Brothers and Sisters" é quando começaram a falar do Dickey. Estava ficando realmente Country e começamos a ficar longe de tudo.

Melissa Ruggieri: O que o mantém motivado para ainda chegar lá e tocar?

Butch Trucks: Você sabe, eu não sei. Você já se apaixonou por alguém? É assim. Simplesmente funciona. Há algumas coisas que você não pode explicar. Acabei de terminar uma rodada médica - glaucoma - então estou me sentindo cansado agora. Mas eu sei o que vai acontecer. Assim que começar a tocar eu me sinto como um super-homem de 18 anos de idade e eu posso tocar para sempre.

Há algo na música que é inexplicável. Mesmo Ayn ​​Rand disse que a música era a única coisa que confundiu ela, porque ela ignora o cérebro. Quando você está ouvindo uma banda, você não está analisando, você está sentindo. Estou tão feliz, acabei sendo um músico. É apenas uma vida maravilhosa.

Tecnologia do Blogger.