ZZ Top - Texicali (Review)


O mundo muda, as pessoas mudam, e a música não foge à regra. "Texicali" me faz sentir o ZZ Top com uma sonoridade jovem, não digo isso comercialmente, digo isso musicalmente falando. Eu sinto um toque de felicidade em cada acorde e fraseado executado.

O EP abre com "I Gotsta Get Paid" uma música repleta de fraseados, conduzida sobre um andamento cadenciado, com riff's gordos, abrindo espaço para cada um dos membros do ZZ Top dar seu show à parte. Consigo sentir a felicidade que o trio sentiu ao gravar essa música, ótima por sinal.

"Chartreuse" surge com uma introdução que quase nos faz pensar em "Sharp Dressed Man" um Blues Rock com muito drive, e claro, solos e mais solos com os harmônicos artificiais marcantes feitos por Gibbons.

"Consumption" assim como as duas primeiras faixas, está bem na linhagem dos álbuns "Eliminator", "Afterburner" e "Recycler", uma variação de efeitos, que se misturam perfeitamente com a levada Blues Rock do ZZ Top.

"Over You" uma música mais cadenciada, com um pouco de Country sobre o andamento Blues, bem The Kentucky Headhunters, nos fazendo ter a certeza que um ótimo álbum está por vir. Agora são cinco faixas já lançadas, lembrando que ano passado "Flyin' High" (Liberada pela NASA em 2011), que ao meu ver deveria estar nesse EP, foi a primeira faixa do novo álbum a ser liberada.

Pelo tempo de carreira e experiência, sabemos bem que ninguém "dita" a maneira do ZZ Top de gravar, não há produtor no mundo que consiga fazer isso, nem o Rick Rubin (Mas ainda tem gente que acredita que o ZZ Top precisa fazer canções comerciais pra sobreviver, ditadas por produtores sanguessugas!). Isso que estamos ouvindo, é o que realmente eles querem nos passar, e eu me sinto grato e honrado, por nos dias de hoje ainda dizer: "Estou vivo e vendo o ZZ Top lançar álbuns, sou um privilegiado!".

Quem reclama do uso "exagerado" de sintetizadores, certamente não é fã do ZZ Top, pois desde os anos oitenta a banda toca dessa maneira, acabou sendo até uma "marca" da banda (Se você ainda não se acostumou, certamente você tem algum problema!). Billy Gibbons continua criando riff's ZZtopianos, com aquele drive e pegada que só ele é capaz de equalizar e fazer andar em harmonia, e Dusty Hill e Frank Beard continuam criando levadas de Blues Rock com muita originalidade e competência. Espero ansioso pelo lançamento do álbum prometido, e só deixo de gostar do ZZ Top quando Billy Gibbons e companhia pararem de criar canções para nós Beer Drinkers and Hellraisers.

Escutem as três faixas disponibilizadas abaixo:





Escrito por Augusto Monteiro e publicado originalmente na Taberna do Putardo.
Tecnologia do Blogger.