Phillip Long - Dancing With Fire: A Folk Opera (Review)


Quando escutei o álbum "Caiçara", me tornei um fã do trabalho do Phillip Long e agradeço demais ao Pedro Gama, vocalista da The Outside Dog, por ter me apresentado o som dele. Desde o inicio de abril, quando fiquei sabendo que o Phillip Long ia lançar mais um CD, não desgrudei um só dia do perfil dele no Facebook, sempre a espera de atualizações e novas faixas de seu futuro álbum. 

De onde vem tanta inspiração? Como um ser humano pode lançar três ótimos álbuns em um ano? Atualmente isso é diferente, mas no auge da boa música, anos 1960 e 1970, grandes bandas lançavam grandes álbuns em um curto espaço de tempo. É isso que o Phillip Long está fazendo, lançando ótimos álbuns em um curto período de tempo.

Como o título acusa, "Dancing With Fire: A Folk Opera" é um álbum conceitual e semi-acústico e, no quesito influências, segue a mesma linha de "Man on a Tightrope" e "Caiçara", ou seja, Folk de raiz.

Ao escutar cada uma das 14 faixas, seja ela instrumental ou não, fica impossível não perceber todo o sentimento que foi colocado em cada uma das canções e isso não soa artificial, soa sincero. "We Were Giants", "In God’s Name", "It’s Hard When It Aches" e "Except My Love", são os destaques, mas o álbum como um todo é ótimo.

E como se não fosse o suficiente lançar todos esses álbuns em tão pouco tempo, o Phillip Long irá lançar um documentário sobre o processo de gravação do "Dancing With Fire: A Folk Opera".

O Phillip Long diz que essa é a sua obra-prima, eu espero que não! Tenho certeza que ele lançará outros álbuns no mesmo nível de "Dancing With Fire: A Folk Opera", ou superiores a ele. E que o título que o Marcos Xi do Rock in Press deu a Phillip Long, se espalhe por esse Brasil afora, pois é merecido:

Phillip Long, o maior folker brasileiro.

Tecnologia do Blogger.