Shooter Jennings - Family Man (Review)


Family Man é o quinto álbum de estúdio lançado pelo Shooter Jennings em 2012.

Review faixa a faixa:

1. "The Real Me" - Se alguma vez você já ouviu "Black Ribbons", esqueça que fez isso, pois em "Family Man" temos o verdadeiro Shooter Jennings, felizmente, de volta as suas raízes. Essa faixa é uma mistura do bom e velho country rock e o outlaw country. Uma bela faixa para um futuro single.

2. "The Long Road Ahead" (featuring Tom Morello & Eleanor Whitmore) - Quando li "feat Tom Morello", fiquei na dúvida, mas o solo do Tom no final não decepciona. É uma faixa mais pop rock e, para mim, ficou um pouco fora do contexto do álbum.

3. "The Deed and The Dollar" - Quando ouvi a faixa pela primeira vez não gostei, até disse isso no Facebook, mas opiniões muda, e essa é uma faixa muito boa e com três ou quatro audições, te pega de jeito. A faixa deixa claro a importância da esposa de Shooter na sua vida e ele disse que essa é "a canção do amor perfeito".

4. "Manifesto No. 4" - Essa é a melhor faixa do álbum. Desde o inicio ela te empolga. O vocal de Jennings e toda a parte instrumental, com destaque para o violino, são impecáveis. Destaque absoluto.

5. "Summer Dreams (Al's Song)" - Essa é uma faixa bem melancólica que fala sobre as frustrações da vida nas cidades modernas.

6. "Southern Family Anthem" -Nessa faixa o Shooter soa como o Tom Petty e adorei o refrão, "We may be trash but we’re a family".

7. "Daddy's Hands" - Essa é uma faixa acústica com a bela participação do Mickey Raphael na gaita. A faixa foi inspirada por uma doença em sua família no ano passado. Uma das melhores faixas do álbum.

8. "The Black Dog" - Essa é uma balada sinistra sobre um desastre numa mina e um cão fantasma negro. Essa é uma faixa, digamos, diferente das demais, mas uma das melhores.

9. "The Family Tree" - Nessa faixa o Shooter deixa claro a sua intenção, trilhar seu próprio caminho, independente do trilhado por seu pai. Uma bela critica aos críticos.

10. "Born Again" (featuring Eleanor Whitmore) - Nessa faixa, Shooter aparece com um vocal mais soulful e, mais uma vez, é muito bem auxiliado pelos ótimos backing vocals da Eleanor Whitmore. Um belo encerramento.

O álbum não segue um padrão musical, fato que pode ferir o sentimento de alguns puritanos, mas isso não atrapalha sua audição e não faz você achar o álbum pior. Não é o álbum que eu esperava, ficou faltando algo, que não sei o que é, mas ao terminar de ouvir o álbum fica aquela sensação de vazio, mas o álbum é bom, não pensem o contrário.

Mesmo não sendo o que eu esperava, esse álbum deixa claro que o Shooter Jennings não pensa em ficar a sombra do seu pai, mostra um vocalista e compositor extremamente competente, que busca seu espaço e que já passou da hora de ter maior atenção do mercado "mainstream".


Para fazer esse review, escutei o álbum no site da AOL, onde o CD foi disponibilizado para ser escutado gratuitamente.

Compre o álbum no site da Amazon e iTunes.
Tecnologia do Blogger.