Grateful Dead - Biografia (1971 - 1975)


Leia a primeira parte da biografia em Grateful Dead - Biografia (1965 - 1970)

"Grateful Dead" é o sétimo álbum do Grateful Dead, lançado em outubro de 1971. É o seu segundo álbum ao vivo duplo e também é conhecido pelos nomes Skull and Roses (devido a sua arte icônica) e Skull Fuck (o nome que a banda queria dar para o álbum, que foi rejeitado pela gravadora). A arte do álbum foi feita Alton Kelly e Stanley Mouse, baseado em uma ilustração feita por Edmund Joseph Sullivan para uma edição do Rubaiyat of Omar Khayyam (uma seleção de poemas persas). O álbum alcançou a 25° colocação na Billboard Pop Albums.

É inquestionável a qualidade das apresentações ao vivo da banda, muito sua fama provém dessas performances. Um dos álbuns ao vivo mais populares da banda é "Europe '72", gravado durante a turnê da banda pela Europa em 1972. Esse foi o terceiro álbum ao vivo seguido da banda, mas esse se tornou o mais bem sucedido, vendendo mais de dois milhões de cópias. 

As faixas que foram lançadas em foram "Europe '72" gravadas ao longo dos 22 shows da banda pela Europa Ocidental. A turnê percorreu 5 países, Inglaterra, Dinamarca, Alemanha, França e Holanda. Todas as datas tiveram as suas apresentações gravadas, mas os originais foram perdidos pela banda e recentemente encontradas. Os 22 shows terão suas gravações lançadas em um box super especial, "EUROPE '72 : A Complete Recordings", que consiste em nada mais nada menos que 72 álbuns gravados durante a turnê da banda pelo velho continente (foram 22 shows), são mais de 70 horas de Grateful Dead em um único box. Falar único é até sacanagem, pois um trabalho desse tamanho é uma raridade. Inicialmente o lançamento foi limitado a 7.200 cópias numeradas individualmente e entregues em um baú, que se esgotaram rapidamente. Mas agora se encontra a venda no site da banda e será lançado em setembro para o mundo todo. 

No final de uma das postagens sobre o lançamento é dito o seguinte:

"Sim, é uma extravagância, mas caramba, você (ou seu amado ) merece! Isso é muito legal."

Essa extravagância está custando a bagatela de $450,00 (R$ 707.85 com a cotação do dia 29/04/11). Mais informações podem ser encontradas aqui. A turnê representada por este álbum foi a última de Ron "Pigpen" McKernan, antes de morrer em 1973. O álbum alcançou a 12° colocação na Billboard Pop Albums.

Em 1970, McKernan começou a experimentar sintomas de cirrose biliar primária (A cirrose biliar primária é uma destruição progressiva dos canais biliares provocada por um ataque do próprio sistema imune (sistema de defesas) do indivíduos.). Depois de uma internação em agosto de 1971, os médicos pediram para ele para de fazer turnês por tempo indeterminado. Sempre inquieto, a McKernan voltou a banda, mesmo estando doente, em dezembro de 1971. Infelizmente, após a sua turnê da Europe '72, sua saúde havia se degenerado até o ponto onde ele não poderia mais continuar na estrada. Ele fez sua última apresentação apresentação no dia 17 de junho de 1972 no Hollywood Bowl, em Los Angeles, Califórnia.

Em 08 de março de 1973, ele foi encontrado morto com uma hemorragia gastrointestinal em sua casa em Corte Madera, Califórnia. McKernan está enterrado no Alta Mesa Memorial Park, em Palo Alto, Califórnia. Em sua lápide está escrito:

RONALD C. McKERNAN
1945–1973
PIGPEN WAS
AND IS NOW FOREVER
ONE OF THE
GRATEFUL DEAD

Em 1973 o Grateful Dead lança mais um álbum ao vivo, "History of the Grateful Dead, Volume One (Bear's Choice)" (o Volume Two nunca foi lançado, pois o contrato com a Warner se encerrou), compilado como uma homenagem para Ron "Pigpen" McKernan, que morreu enquanto o álbum estava sendo preparado. O "Urso" do título é o apelido de Owsley Stanley, cozinheiro da banda e um produtor de LSD (Ele também foi um engenheiro de som realizado e serviu como o homem de som de longa data do Grateful Dead.) e produtor do álbum. De um lado consiste em performances acústicas com Ron, Garcia e Weir, o segundo lado apresenta performances de toda a banda. O álbum alcançou a 60° colocação na Billboard Pop Albums.

Em 1973, o Grateful Dead criou sua própria gravadora, Grateful Dead Records. A banda lançou vários LPs por esse rótulo, em meados da década de 1970.

Inicialmente, a banda estabeleceu sua própria gravadora para exercer mais controle sobre o conteúdo artístico e outras opções dentro e fora do estúdio. Em uma carta enviada aos fãs, anunciaram seus planos de estabelecer a sua própria gravadora, indo tão longe a ponto de comentar que uma de suas fantasias era distribuir seus álbuns através dos caminhões de sorvete fora e durante os seus concertos e esperavam conseguir o controle de todos os aspectos da gravação e distribuição de seus próprios registros. No entanto, a Grateful Dead Records resultou em um negócio tradicional ao longo da mesma rotina, como era habitual. Depois de alguns anos, o stress de assuntos de negócios fez com que a banda assinasse com a Arista Records em 1977.

O primeiro álbum lançado pelo selo foi "Wake of the Flood". Era o primeiro álbum full-length em quase três anos, desde 1970, com "American Beauty". Foi também o primeiro álbum de estúdio sem Ron "Pigpen" McKernan. O novo pianista Keith Godchaux tinha uma tendência no sentido do jazz (ao invés do blues McKernan), resultando na mudança do som da banda. O álbum conta com algumas faixas clássicas da banda: "Eyes of the World", "Stella Blues" e "Let Me Sing Your Blues Away". O álbum alcançou a 18° colocação na Billboard Pop Albums.

"Grateful Dead from the Mars Hotel" é o sétimo álbum de estúdio do Grateful Dead. Foi registrado em abril de 1974 e lançado em 27 de junho de 1974. Foi o segundo lançamento sob o selo próprio da banda, Grateful Dead Records. Este foi o último álbum antes do hiato da banda da turnê em outubro de 1974 durante o qual a banda iria terminar a montagem do filme "The Grateful Dead Movie".

Duas canções deste álbum foram raramente tocadas ao vivo ("Unbroken Chain" foi tocada 10 vezes em 1995, "Money Money" foi tocada três vezes em maio de 1974) e nunca tocadas ("Pride of Cucamonga"). A capa quando vista de cabeça para baixo na frente de um espelho, pode-se ler "Ugly Rumors". Isso inspirou o nome da banda do ex-premiê britânico Tony Blair, Ugly Rumours. O álbum alcançou a 16° colocação na Billboard Pop Albums.

"Blues for Allah" é o oitavo álbum de estúdio do Grateful Dead. Foi gravado entre 27 de fevereiro e 07 de maio de 1975 e lançado em 01 de setembro de 1975. Foi o terceiro lançamento sob o selo próprio da banda, Grateful Dead Records. Foi o primeiro álbum com Mickey Hart em mais de quatro anos, o primeiro álbum da banda desde a sua curta pausa em 1974. A faixa título do álbum foi realizada somente um punhado de vezes em 1975 e nunca mais foi tocada, enquanto várias outras faixas do álbum foram realizadas regularmente pelo resto da carreira do Dead. O álbum alcançou a 12° colocação na Billboard Pop Albums. O single do álbum, "The Music Never Stopped", alcançou a 81° posição na Billboard Pop Singles.

Continue lendo em Grateful Dead - Biografia (1976 - 1980)

Saiba mais sobre a banda:

Tecnologia do Blogger.