The Marshall Tucker Band - Biografia


Os membros originais (e alguns membros posteriores) do Marshall Tucker tocavam em diversas bandas diferentes na região de Spartanburg desde o início de 1960. Em 1966, membros de diversas bandas se fundiram para formar a Toy Factory, em homenagem a Toy Caldwell. A banda era formada por Tommy Caldwell, Toy Caldwell, Doug Gray, Jerry Eubanks, George McCorkle e Franklin Wilkie. 

No final dos anos 1960, alguns membros da banda foram servir nas Forças Armadas dos EUA na Guerra do Vietnã. Na década de 1970, Toy Caldwell e George McCorkle haviam retornado para Spartanburg, e a Toy Factory tinha recomeçado a tocar em clubes da região. Em 1970 a banda abriu os shows do Allman Brothers, quando estes tocaram em Spartanburg.

Em 1972 a banda era composta por Doug Gray (vocal), Toy Caldwell (guitarra/vocais), seu irmão Tommy Caldwell (baixo/vocal), George McCorkle (guitarra), Paul Riddle (bateria) e Jerry Eubanks (flauta/sax/vocal). A mudança de nome também se viu necessária. A banda estava discutindo sobre o novo nome em um antigo armazém que haviam alugado para ensaiar, o nome do local era “Marshall Tucker”, ai sugeriram que a banda assim se chama-se. Anos mais tarde eles descobriram que o nome Marshall Tucker era de uma pessoa real, um afinador de pianos que era o antigo proprietário do armazém em que ensaiavam. A banda assinou seu contrato com a Capricorn Records ainda em 1972.

A estréia da banda se daria com o auto-intitulado “The Marshall Tucker Band”, produzido por Paul Hornsby e lançado em 1973. Todas as faixas foram escritas por Toy Caldwell, incluindo "Can't You See", sem dúvida um dos maiores clássicos do Southern Rock. Após o lançamento do álbum, a banda começou uma extensa turnê, foram mais de 300 shows por ano ao longo da década de 1970. O álbum alcançou a 37° colocação na The Billboard 200. Destaque para as faixas "Take The Highway", "Can't You See" e "Hillbilly Band". O álbum foi certificado de disco de ouro.

Em 1974 foi lançado o segundo álbum da banda, “A New Life”, sendo mais uma vez certificado com disco de ouro em 1977. O álbum contou com a participação do multi-instrumentalista Charlie Daniels e Jaimoe do Allman Brothers. O álbum não é tão genial quanto o álbum de estréia da banda, mas é um álbum em que o Country predomina e algumas características experimentais do primeiro álbum não apareceram nesse lançamento. O destaques do álbum são as faixas "Blue Ridge Mountain Sky" , "Another Cruel Love", "24 Hours At A Time" e "Too Stubborn".

Ainda em 1974 a banda lança seu terceiro álbum de estúdio, "Where We All Belong". Esse é o álbum mais longo da banda, com mais de 71 minutos de duração, mas mesmo com uma duração fora dos padrões para seus estilo musical, o álbum é considerado um dos melhores da banda. O álbum alcançou a 54° posição na The Billboard 200 e o single "This Ol' Cowboy" a 78° na Billboard Hot 100. Destaque para as faixas "Take The Highway", "24 Hours At A Time" (com uma ótima participação do Charlie Daniels tocando violino), "Ramblin'" e "In My Own Way". "Where We All Belong" é um álbum duplo, sendo a primeira parte do álbum gravada em estúdio e a segunda ao vivo. O álbum obteve a certificação de disco de ouro. A segunda parte do álbum mostra a banda rebuscando os elementos experimentais que marcaram se álbum de estréia auto-intitulado “The Marshall Tucker Band”.

Em 1974 é lançado “Searchin' for a Rainbow”. Essa álbum foi o que alcançou a melhor posição de um trabalho da banda na Billboard 200, chegando a 15° colocação, sendo certificado com disco de ouro e continha a faixa "Fire on the Mountain", que alcançou a posição 38° colocação na Billboard Hot 100. "Searchin' For A Rainbow" alcançou a 82° posição na Country Singles e "Can't You See", a 75° na Billboard Hot 100. Destaque para as faixas "Fire On The Mountain", "Searchin' For A Rainbow", "Bob Away My Blues" e "Can't You See".

“Long Hard Ride” lançado em 1976. As influências Country aparecem mais em “Long Hard Ride” que em qualquer outro lançamento da banda, mas isso não gerou um grande sucesso, o que não quer dizer que o álbum não seja bom. A faixa título, uma bela instrumental (que também apresenta Charlie Daniels no violino) foi nomeada para um Grammy. O álbum a 21° colocação na Billboard Country Albuns e a 32° na Billboard 200. O single "Long Hard Ride" alcançou a 63° posição na Billboard Country Singles. Destaque para as faixas "Long Hard Ride", "Windy City Blues" e "Am I The Kind Of Man".


Mesmo que seus primeiros quatro dos cinco álbuns de estúdio lançados tenham sido certificados com disco de ouro nos EUA e depois de ter algumas faixas bem sucedidas, "Can't You See", "Blue Ridge Mountain Sky", "Long Hard Ride", "In My Own Way" e "Fire on the Mountain", faltava para o Marshall Tucker Band um álbum definitivo, aquele que sempre será lembrado por todos quando o nome da banda surgir. 

“Carolina Dreams” pode, facilmente, ser considerado o álbum definitivo do Marshall Tucker Band. O álbum foi lançado em 1977 e tem uma abordagem musical diferente, quando comparado ao seu antecessor, "Long Hard Ride". O álbum traz menos elementos do Country e mais canções "pop". O maior hit da banda, "Heard It In A Love Song" (14° na Billboard Hot 100), é uma das melhores baladas do Southern Rock e inconfundível com qualquer outra faixa, pois é impossível escutar a flauta no início da faixa e não a reconhecer. O swing de "Desert Skies", o lindo solo de Blues em "I Should Have Never Started Lovin’ You", o humor de "Fly Like An Eagle", a dramática "Never Trust a Stranger" e a questão da moralidade cantada em "Tell It To The Devil", fazem de “Carolina Dreams” o melhor álbum da banda. O álbum foi certificado com disco de platina.

O último trabalho de estúdio da banda pela Capricorn Records, “Together Forever”, foi lançado em 1978. O direcionamento musical do álbum pode ser considerado um meio termo dos últimos lançamentos da banda. “Together Forever” possui um pouco do Country apresentado em “Long Hard Ride” e um pouco do som mais "pop" de “Carolina Dreams”. Somando tudo, temos um álbum com uma abordagem mais voltada para o mainstream, mas que não rendeu o mesmo sucesso que seu antecessor. O álbum chegou a 20° colocação da Billboard 200, sendo também certificado com disco de ouro. Ainda nesse ano, a Capricorn Records lança “Greatest Hits”, que consegue a certificação de disco de platina.


A banda assinou um contrato com a Warner Brothers e seu primeiro lançamento pelo selo saiu em 1979, “Running Like The Wind”. Mais uma vez a banda retorna ás suas origens Country e traz duas belas canções, "Running Like the Wind" e "Last of the Singing Cowboys".

Quando a década de 1970 chega ao fim, também acaba uma “Década de Ouro” para a banda. No total, foram cinco álbuns certificados com disco de ouro e dois com disco de platina! [Nota: no site oficial da banda é dito que 4 álbuns foram certificados com platina e 5 com ouro, mas os dados que apresentei foram retirados do site da RIAA que cuida da certificação dos álbuns nos EUA] 

A década de 1980 também reservou alguns bons momentos, mas nada comparado aos dos anos de 1970. Essa queda de rendimento se deve principalmente a tragédia que ocorreu com um dos membros da banda [Nota: Tragédias parecem perseguir as bandas de Southern Rock, basta ler a biografia do Gov’t Mule, Allman Brothers Band e Lynyrd Skynyrd, só para citar alguns].

“Tenth”, de 1980 foi o último álbum lançado com a formação original da banda completa. Nesse álbum a banda segue uma linha muito próxima do Boogie Rock praticado pelo Doobie Brothers na época e tem como destaque a faixa "Cattle Drive" e "Foolish Dreaming"

Em 22 de abril de 1980, Tommy Caldwell estava indo para para o YMCA, no centro de Spartanburg, no seu jipe off-road, quando um Ford Galaxy freou bruscamente, os dois carros colidiram e o carro de Tommy capotou com o impacto. Caldwell foi levado às pressas para um hospital com graves ferimentos na cabeça e morreu seis dias depois, no Spartanburg General Hospital em 28 de Abril. Ele tinha apenas 30 anos de idade. Nesse momento o Marshall Tucker não perdia apenas o seu baixista, perdia um irmão, um amigo, seu líder, um de seus fundadores e o homem de negócios da banda. Uma parte importante da banda foi ceifada no dia 28 de Abril de 1980.

Para o lugar de Tommy Caldwell, foi chamado, Franklin Wilkie, ex-membro do Toy Factory.


“Dedicated”, de 1981, foi o primeiro álbum do Marshall Tucker sem Tommy Caldwell. O álbum é uma mistura do radio-friendly rock com o Southern Rock da banda, não é um álbum ruim e tem como ápice a faixa "Ride In Peace", um tributo a Tommy. Sem dúvida uma das melhores faixas da banda. Destaque também para "Something's Missing in My Life" e "Rumors Are Raging"

“Tuckerized”, de 1982 é um álbum para os fãs mais fanáticos da banda, que não é meu caso. Pela primeira vez Toy Caldwell não tomou as rédeas das composições, dando a tarefa para diversos compositores fora da banda.

“Just Us” lançado em 1983, é um dos melhores trabalhos do Marshall Tucker Band, e um de seus discos mais sólidos. Com a adição de Ronnie Godfrey para a banda como pianista e compositor, surgiram algumas composições mais Blues ("Testify" e "Wait for You"), mantendo as qualidades country e rock tornaram a banda tão popular.

Ainda em 1983 é lançado “Greetings from South Carolina”  e logo em seguida a banda se separa. 

Em 1988, Gray e Eubanks reorganizam o Marshall Tucker Band para gravar o álbum “Still Holdin' On”, seu primeiro e único lançamento pela gravadora Mercury. Esse álbum contém a faixa "Hangin' Out in Smokey Places", talvez a melhor lançada nos anos 1980.


Apesar de Gray e Eubanks terem adiconado novos membros, Rusty Milner, Stuart Swanlund e Tim Lawter, ainda assim “Still Holdin' On” foi, primeiramente, gravado com músicos de estúdio. Para o próximo álbum, Doug Gray e Jerry Eubanks decidem reformular toda a banda.

"Southern Spirit” foi lançado em 1990 e está repleto de ótimas faixas e se encaixa facilmente em qualquer lista de melhores álbuns da banda. Destaque para as faixas "Stay in the Country", "Destruction" e "Closer Today".

Em 1992, o Marshall Tucker Band produziu seu primeiro álbum para o selo Cabin Fever, “Still Smokin'”, que conseguiu alcançar o Top 70 na Billboard. Destaque para as ótimas "Frontline", "Southern Spirit" e "Driving You Out of My Mind."



O Marshall Tucker e a Toy Caldwell Band estavam indo muito bem, nada comparado com os gloriosos anos de 1970. A Toy Caldwell Band lançou seu trabalho de estréia pela Cabin Fever. "Toy Caldwell Band" (o álbum ganhou um novo nome em 1997, "Son of the South", quando o velho amigo de Toy, Charlie Daniels decidiu relançar o trabalho) contou com a participação de músicos consagrados do Southern Rock como Gregg Allman, Charlie Daniels, Willie Nelson e Jim Dickinson (lendário produtor de Memphis e pai do Luther e Cody Dickinson, integrantes do North Mississippi Allstars). "I Hear the South Calling Me" e "Midnight Promises"  são maravilhosas, sendo que a segunda é um belo dueto com  Gregg Allman.

Em 1993 sai “Walk Outside the Lines”, sendo a faixa-título escrita pelo astro maior da música country Garth Brooks, um fã de longa data da banda, que considerou escrever uma música para eles um "marco" de sua carreira. A faixa “Down We Go” escrita por Sam Spoon, figurou no Top 40 da Hot Country Songs. Esse não é o melhor dos álbuns da banda, mas ainda consegue prender a atenção dos amantes da música Country.

Morte, essa palavra tão comum nas biografias de bandas de Southern Rock, aparece mais uma vez. No dia 25 de fevereiro de 1993, quando tudo parecia estar dando certo novamente para Toy Caldwell, ele falece devido a problemas respiratórios. Em seu funeral, Toy Talmadge Caldwell, Jr., Dickey Betts, George McCorkle, Paul Riddle, entre outros, cantaram "Can't You See".

"Sem Toy Caldwell, não existiria o Marshall Tucker Band", diz Doug Gray. "Nunca teria havido qualquer uma destas grandes canções que estão ai." Doug não exagera em momento algum ao dizer isso. Os nove álbuns lançados nos anos de 1970, continham 66 faixas, sendo 52 compostas por Toy. Ele era o membro chave, aquele que escreveu todos os clássicos da banda, exceto "Fire on the Mountain", escrita por George McCorkle.

Foram cinco anos sem nenhum novo álbum de estúdio, nesse período diversas coletâneas foram lançadas. “The Capricorn Years” (1994), “Country Tucker” (1996), “The Encore Collection” (1997) e “MT Blues” (1997).

Após esse longo hiato sem lançamentos inéditos, em 1998 a banda coloca no mercado seu novo álbum, “Face Down in the Blues”. Em 1999 a banda lança “Gospel”.

A primeira década do século XXI foi marcada por diversos lançamentos que mantiveram o Marshall Tucker na ativa. “Stompin' Room Only” (2003), “Beyond the Horizon” (2004) (album de estúdio), “Carolina Christmas” (2005) (álbum natalino), “Anthology” (2005), “Where a Country Boy Belongs” (2006), “Live on Long Island 04-18-80” (2006) (álbum ao vivo que mostra Tommy Caldwell em sua última apresentação), “The Next Adventure” (2007) (album de estúdio), “Collector's Edition” (2008), “Carolina Dreams Tour '77” (2008), “Love Songs” (2009), “Essential 3.0” (2009) e “Way Out West! Live From San Francisco 1973” (2010) (apresentação gravada meses depois do lançamento do álbum de estréia da banda, uma raridade que foi lançada 27 anos depois de sua gravação).

Em 2012 a banda irá completar 40 anos de existência e para comemorar, todos os álbum lançados pela Capricorn Records serão relançados em vinil.


Atualmente a banda conta com: Doug Gray (vocais), Pat Elwood (baixo), Clay Cook (vocais, guitarra,teclados, flauta e sax), B.B. Borden (bateria) e David Muse (teclados, saxophone, flauta e vocais).

A banda ainda continua na estrada, fazendo em média 150 shows por ano, sendo sem dúvida uma das grandes bandas do Southern Rock e uma das mais influentes, com uma discografia única e repleta de sucessos e que continua encantando as novas gerações.

Saiba mais sobre a banda:

Tecnologia do Blogger.